Delação aponta propinas de mais de R$20 milhões durante governos de Serra e Alckmin

Sócio de construtora delata propina em pelo menos dois contratos durante a gestão de Serra e Alckmin. Valor ultrapassa R$20 milhões.

1856 0

Sócio de construtora delata propina em pelo menos dois contratos durante as gestões dos dois líderes tucanos à frente do governo de São Paulo. Valores foram pagos para garantir que empresa participasse das obras da CDHU e do Rodoanel Mário Covas

Por Redação

José Antunes Sobrinho, empresário sócio da Engevix Construtora, está negociando com o Ministério da Transparência uma delação premiada que pode colocar as gestões de José Serra e Geraldo Alckmin no governo do estado de são Paulo sob investigação por recebimento de propinas em contratos de obras do CDHU e Rodoanel Mário Covas. Valor dos repasses ilegais passam R$20 milhões.

De acordo com reportagem de Ana Clara Costa e Alana Rizzo, para a Revista Época, Antunes teria apresentado a quatro integrantes do ministério e quatro procuradores da Advocacia-Geral da União uma lista com pagamentos de propina a quatro órgãos públicos, entre eles dois durante governos dos psdbistas no estado de São Paulo: uma para a Companhia da Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) – empresa estatal de construção de moradias populares – e outra para a Dersa Desenvolvimento Imobiliário, responsável por parte da obra do Rodoanel Mário Covas.

Além da Engevix, que aponta negociações de executivos durante os dois governos do PSDB, a Odebrecht também lista em suas planilhas apuradas pela Policia Federal ilegalidades em contratos firmados com ambos os governos, em 2004 e em 2016, mesmo período no qual as ocorrências referentes a CDHU, delatadas por Antunes, teriam ocorrido.



No artigo

x