Após congelar gastos em saúde e educação, Câmara aumenta salários de servidores

Rejuste foi sacramentado apenas oito horas após a aprovação da PEC 241, que congela os gastos públicos por 20 anos. No total, os aumentos aos servidores vão custar R$ 3,094 bilhões por ano ao...

11198 0

Rejuste foi sacramentado apenas oito horas após a aprovação da PEC 241, que congela os gastos públicos por 20 anos. No total, os aumentos aos servidores vão custar R$ 3,094 bilhões por ano ao Tesouro Nacional

Por Redação

Apenas oito horas após a aprovação da PEC 241, que congela os investimentos em saúde e educação, a Comissão Especial do projeto sobre reajustes para carreiras de servidores aprovou na manhã desta quarta-feira (26) aumento salarial para policiais federais, policiais rodoviários federais, peritos federais agrários e servidores do plano especial de cargos do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

Os aumentos começarão a valer a partir de 2017 e serão parcelados em três vezes, até 2019.  No total, eles vão custar R$ 3,094 bilhões por ano ao Tesouro Nacional. O projeto seguirá direto para o Senado Federal.

A aprovação do aumento aos servidores desnuda as reais intenções que o governo e sua base aliada tentam vender à sociedade com relação à PEC 241, que deveria ter como objetivo conter gastos para reequilibrar a economia. Ao congelar gastos com educação e saúde e aprovar aumento a servidores, governo e deputados indicam que a austeridade só deve bater mesmo à porta dos mais pobres.

Leia também

Temer e a PEC 241: entre o engodo e a guerra civil



No artigo

x