Jean Wyllys explica a nova delação da Lava Jato a partir de Game of Thrones

A questão que nos envolve é séria. O Brasil está mergulhado numa crise econômico-financeira e, sobretudo, política que tem afetado a vida das brasileiras e brasileiros.

1168 0

Por Jean Wyllys*

A questão que nos envolve é séria. O Brasil está mergulhado numa crise econômico-financeira e, sobretudo, política que tem afetado a vida das brasileiras e brasileiros na forma do desemprego, da queda no poder de compra, na forma do fascismo e do desrespeito ao Estado de Direito. Um contexto complexo e difícil de entender para alguém que só se informa pelo Jornal Nacional e/ou por memes de WhatsApp… A nova delação da Odebrecht, por exemplo: como explicá-la aos adolescentes e jovens que lotam minhas redes com perguntas a respeito disso?

Bom, como sou leitor de George RR Martin e fã de Game of Thrones (série baseada em seus livros), vou tentar explicar a nova delação na Lava Jato da seguinte forma (claro que se tratará de uma simplificação, mas, nem por isso, mentirosa; e os personagens de GOT não encontrarão correspondências diretas: antes serão espécies de alegorias das forças em embate na política brasileira):

A delação da Odebrecht expõem a cúpula do PMDB e do DEM. A pergunta é: como a Lava Jato pode fazer isso com os partidos que ajudaram o PSDB a dar o golpe na democracia e derrubar o governo Dilma? E o que o PSDB fará depois com a própria Lava Jato?

Ora, vamos de GOT pra ver se a meninada entende:

Os donos do dinheiro (banqueiros, rentistas, latifundiários e industriais) – os ricos de BRAVOS – sentem-se mais representados pelo PSDB, mas não são o PSDB. O judiciário/MP/PF e sua Lava Jato (A Fé Militante, que tem afinidades ideológicas com as bancadas BBB na Câmara Federal; na verdade Lava Jato e o baixo clero BBB da Câmara são uma coisa só: estão representados pela Fé Militante/Unella/o Alto Pardal e seus fiéis em todos as instituições de Porto Real) estão sendo instrumentalizados por esses poderes fáticos, os ricos de Bravos que ora se sentem representados nos e pelos Lannister (tucanos). Mas pode ser que esses poderes fáticos ora representados no PSDB, depois de destruírem completamente o PT/PC do B (Stark) com a ajuda do PMDB (Tyrell), do DEM (Bolton) e dos partidos da bancada BBB mais os fascistas no MP, PF e Judiciário (tudo isso constituindo a Fé Militante e seus pardais), pode ser, então, que o poderes fáticos comecem agora a destruir seus “aliados” de ocasião para ficarem com o Trono de Ferro sozinhos.

O grupo de empresários e financiadores se sente melhor representado pelos tucanos (Lannister). Usaram os demais (Bolton-DEM, Tyrell-PMDB) pra destruir o PT/PC do B (Stark) e agora vão descartá-los. Esse grupo quer o Trono de Ferro em suas mãos. E não se espantem quando esse grupo destruir o septo da Fé Militante (a bancada da Bíblia/Bala, Lava Jato e seus adoradores fascistas). Vai ser em breve se as coisas continuarem correndo assim.

Nossa esperança estará em nós (o que resta dos Stark, mais a novíssima esquerda que emerge e o PSOL que se expressa sobretudo nos mandatos meu e do Freixo e que representa Daenerys Targaryen e seu time rumo a Porto Real) contra esse golpe! Faltam-nos ainda os três dragões. E não se esqueçam que independentemente dessa luta, há um maior a ser travada: se formos derrotados, enfrentaremos ainda os Caminhantes Brancos (a barbárie generalizada associada às mudanças climáticas).

Jean Wyllys é deputado federal pelo PSOL. Texto originalmente publicado em seu Facebook.



No artigo

x