Gilmar Mendes defende Congresso e ataca decisão de Fux: “É o AI-5 do Judiciário”

Ministro do STF criticou a decisão do colega em determinar a devolução do projeto anticorrupção à Câmara a partir da estaca zero; a proposta, que contou com mais de 2 milhões de assinaturas, havia sido deturpada pelos parlamentares.

781 0

Ministro do STF criticou a decisão do colega em determinar a devolução do projeto anticorrupção à Câmara a partir da estaca zero; a proposta, que contou com mais de 2 milhões de assinaturas, havia sido deturpada pelos parlamentares

Por Redação

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, criticou a decisão do colega e ministro Luiz Fux, que determinou a devolução do projeto anticorrupção à Câmara a partir da estaca zero. O projeto, que contou com mais de 2 milhões de assinaturas, havia sido deturpado pelos parlamentares. Para ele, fazer com que o Congresso aprove um texto sem fazer alterações é o mesmo que fechar o Legislativo e entregar as chaves.

“É um AI-5 do Judiciário”, disse ao comparar a medida ao Ato Institucional 5, que retirou garantias constitucionais durante o regime militar. “Entrega a chave do Congresso ao (Deltan) Dallagnol (coordenador da força-tarefa da Lava Jato)”, ironizou.

Gilmar também criticou a decisão de Marco Aurélio Mello, derrubada posteriormente pelo plenário do Supremo, de afastar Renan Calheiros da presidência do Senado. “De repente nós todos enlouquecemos e não descobrimos ainda (…) Estamos (STF) caminhando rapidamente para virar uma instituição de galhofa”, opinou sobre os posicionamentos recentes da Corte.

Com informações do Estado de S. Paulo

Foto: Elza Fiúza/ Agência Brasil



No artigo

x