Mangueira faz samba que serve em cheio pra crise: “Só com a ajuda do santo”

O samba enredo da Mangueira, atual campeã do carnaval carioca, para o próximo ano parece ter tudo a ver com estes tempos de crise e governo Temer. O título já diz tudo: “Só com a...

1773 0

O samba enredo da Mangueira, atual campeã do carnaval carioca, para o próximo ano parece ter tudo a ver com estes tempos de crise e governo Temer. O título já diz tudo: “Só com a ajuda do santo”. O samba fala da religiosidade do brasileiro e as suas superstições para enfrentar o dia a dia. Com melodia forte e várias referências à mitologia do candomblé, “Só Com a Ajuda do Santo” é lindo e muito bem interpretado pelo Tinga, puxador da escola. Assista aqui o belo vídeo com a gravação do samba.

Da Redação

 

 

 

Samba Enredo 2017 – “Só Com a Ajuda do Santo”

G.R.E.S. Estação Primeira de Mangueira (RJ)

Compositores: Lequinho, Júnior Fionda, Flavinho Horta, Gabriel Martins e Igor Leal

Intérprete: Tinga

 

O meu tambor tem axé, Mangueira

Sou filho de fé do Povo de Aruanda

Nascido e criado pra vencer demanda

Batizado no altar do samba

 

O meu tambor tem axé, Mangueira

Sou filho de fé do Povo de Aruanda

Nascido e criado pra vencer demanda

Batizado no altar do samba

 

Mangueira, eu já benzi minha bandeira

Bati três vezes na madeira

Para a vitória alcançar

No peito patuá, arruda e guiné

Para provar que o meu povo nunca perde a fé

A vela acesa pro caminho iluminar

Um desejo no altar, ou no gongá

Vou festejar com a divina proteção

Num céu de estrelas enfeitado de balão

É verde e rosa o tom da minha devoção

Já virou religião

 

O manto a proteger, Mãezinha a me guiar

Valei-me meu Padim onde quer que eu vá

Levo oferendas á Rainha do Mar

Inaê, Marabô, Janaína

 

O manto a proteger, Mãezinha a me guiar

Valei-me meu Padim onde quer que eu vá

Levo oferendas à Rainha do Mar

Inaê, Marabô, Janaína

 

Abriram-se as portas do céu, choveu no roçado

Num laço de fita a menina pediu comunhão

Bala, cocada e guaraná pro Erê

Meu padroeiro irá sempre interceder

Clareia, tenho um guerreiro a me defender

Firmo o ponto pro meu orixá (no terreiro)

Pelas matas eu vou me cercar (mandingueiro)

Mel, marafo e abô

Só com a ajuda do santo eu vou (confirmar meu valor)

O morro em oração, clamando em uma só voz

Sou a Primeira Estação, rogai por nós!

 

O meu tambor tem axé, Mangueira

Sou filho de fé do Povo de Aruanda

Nascido e criado pra vencer demanda

Batizado no altar do samba

 

O meu tambor tem axé, Mangueira

Sou filho de fé do Povo de Aruanda

Nascido e criado pra vencer demanda

Batizado no altar do samba

 

Mangueira, eu já benzi minha bandeira

Bati três vezes na madeira

Para a vitória alcançar

No peito patuá, arruda e guiné

Para provar que o meu povo nunca perde a fé

A vela acesa pro caminho iluminar

Um desejo no altar, ou no gongá

Vou festejar com a divina proteção

Num céu de estrelas enfeitado de balão

É verde e rosa o tom da minha devoção

Já virou religião

 

O manto a proteger, Mãezinha a me guiar

Valei-me meu Padim onde quer que eu vá

Levo oferendas á Rainha do Mar

Inaê, Marabô, Janaína

 

O manto a proteger, Mãezinha a me guiar

Valei-me meu Padim onde quer que eu vá

Levo oferendas à Rainha do Mar

Inaê, Marabô, Janaína

 

Abriram-se as portas do céu, choveu no roçado

Num laço de fita a menina pediu comunhão

Bala, cocada e guaraná pro Erê

Meu padroeiro irá sempre interceder

Clareia, tenho um guerreiro a me defender

Firmo o ponto pro meu orixá (no terreiro)

Pelas matas eu vou me cercar (mandingueiro)

Mel, marafo e abô

Só com a ajuda do santo eu vou (confirmar meu valor)

O morro em oração, clamando em uma só voz

Sou a Primeira Estação, rogai por nós!

 

O meu tambor tem axé, Mangueira

Sou filho de fé do Povo de Aruanda

Nascido e criado pra vencer demanda

Batizado no altar do samba

 

O meu tambor tem axé, Mangueira

Sou filho de fé do Povo de Aruanda

Nascido e criado pra vencer demanda

Batizado no altar do samba



No artigo

x