Morre o ícone gay da música pop George Michael

George Michael morreu em sua casa, em Londres, em decorrência de uma parada cardíaca. Sempre que pode George Michael manifestou suas críticas a vários políticos o que o levou a ser boicotado por jornais norte-americanos de direita. Nos anos 90 assumiu a homossexualidade, ao...

2397 0

George Michael morreu em sua casa, em Londres, em decorrência de uma parada cardíaca. Sempre que pôde manifestou suas críticas a vários políticos, o que o levou a ser boicotado por jornais norte-americanos de direita. Nos anos 90 assumiu a homossexualidade, ao ser preso por atentado ao pudor fazendo sexo com um homem em um banheiro público de um parque.

Da Redação com informações do UOL e do G1

O cantor inglês George Michael, um dos grandes ícones gays do seu tempo e um dos maiores cantores pop do mundo, morreu neste domingo (25), aos 53 anos, em sua casa em Londres, em decorrência de uma parada cardíaca.

A informação foi confirmada por seu assessor de imprensa ao site de notícias da BBC

“É com grande tristeza que podemos confirmar que o nosso amado filho, irmão e amigo George faleceu pacificamente em casa durante o Natal”, disse o representante do músico, em um comunicado. “A família gostaria de pedir que a sua privacidade seja respeitada neste momento difícil e emocional.”

De acordo com a polícia britânica, uma ambulância fez um atendimento médico em Goring, no condado de Oxfordshire às 13h42 de Londres (15h42 no horário de Brasília). Os agentes disseram que não há circunstâncias suspeitas relacionadas à morte do cantor.

Elton John, com quem Michael gravou a parceria “Don’t Let the Sun Go Down on Me”, foi um dos primeiros artistas a se pronunciar oficialmente. “Estou profundamente chocado. Perdi um amigo amado – a alma mais gentil, mais generosa e um artista brilhante. Meu coração está com sua família e todos os seus fãs”, escreveu na legenda de uma foto em que aparecem juntos.

 

Vida intensa

Sempre que pode George Michael manifestou suas críticas à então primeira ministra britânica Margareth Tatcher, ao primeiro-ministro britânico Tony Blair e ao então presidente dos Estados Unidos, George Bush. Por causa de seu posicionamento político, começou a ser boicotado pelos jornais norte-americanos de direita.

Na vida pessoal, o cantor foi conhecido por uma rotina de excessos, com prisões por porte de drogas e por atentado ao pudor fazendo sexo com um homem em um banheiro público de um parque. Já nos anos 1990, declarou publicamente sua homossexualidade e criou a música “Jesus to a Child” em homenagem ao estilista brasileiro e seu namorado Anselmo Feleppa, que morreu de Aids. Mas, antes disso, teve namoros com mulheres, entres elas a atriz Brooke Shields (“A Lagoa Azul”).

Em 2011, Michael foi forçado a cancelar uma série de shows para tratar uma pneumonia. Segundo a BBC, o cantor chegou a ser submetido a uma traqueostomia para conseguir respirar e chegou a ficar inconsciente durante sua estada no hospital.

Nada disso impediu que Michael continuasse a fazer planos na música. Recentemente ele chegou a anunciar que estava trabalhando em um novo álbum com o produtor e compositor Naughty Boy. Em março de 2017, planejava lançar um documentário batizado de “Freedom”.

Repercussão:

Madonna, cantora

“Adeus, meu amigo! Outro grande artista nos deixa. 2016 já pode dar o fora agora?”

Miley Cyrus, cantora e atriz
“Já sinto sua falta! Obrigada por todo o ativismo radical na comunidade LGBT! Te amo para sempre.”

Liam Gallagher, cantor
“É melhor não ser verdade sobre George Michael”, pediu o cantor em seu Twitter.

Maria Rita, cantora
“Mais dor e saudade prum coração… que ano”, disse Maria Rita em seu Twitter

Laura Pausini, cantora
“Você vai ser sempre meu artista masculino favorito. Meu coração é só tristeza. Descanse em paz, incrível George Michael. Não consigo acreditar”.

Gloria Gaynor, cantora
“Tão triste de ouvir sobre a morte de George Michael. Minhas orações e condolências vão para a família, amigos e fãs”.

William Shatner, ator
“Este ano ainda não acabou. Tantas pessoas estão morrendo. Descanse em paz, George Michael”.

Lúcio Mauro Filho, ator
“George Michael divou no mundo pop e eu tive o prazer de tocar um de seus grandes sucessos junto com meu filhote Bento no show do nosso grande amigo Edgar Duvivier. Cause we gotta have faith!”

Bryan Adams, músico
“RIP George Michael. Eu não posso acreditar. Um incrível cantor e encantador ser humano, muito jovem para nos deixar”, desabafou o músico no Twitter.

Duran Duran, banda
“2016 – perdemos mais uma alma talentosa. Todo nosso amor e simpatia à família de George Michael”, disse a banda no Twitter.

James Corden, apresentador
“Eu amei George Michael durante todo tempo que me lembro. Ele era uma inspiração absoluta. Sempre à frente de seu tempo”, disse o apresentador em seu Twitter.

Paulo Ricardo, cantor
“Gravei Careless Whispers em meu cd/dvd Acoustic Live, uma de minhas favoritas! RIP George Michael”.

Carlos Tufvesson, estilista
“RIP George Michael. Obrigado por tudo, tudo mesmo que você contrinuiu na minha vida e na vidad e tantos! You rock man! Até breve”, comentou Tufvesson no Twitter.

Ellen DeGeneres, apresentadora
“Estou muito triste. George Michel tinha um talento brilhante”.

Foto: Neil Mockford/Getty Images

Você gosta de ler a Fórum? Então vai pra Cuba! Fique sócio agora e concorra a uma viagem por nossa conta em 2017.

http://www.revistaforum.com.br/socio/

 



No artigo

x