“Assassino de Campinas repetiu o que muita gente diz na rede”, diz Maria do Rosário

Ex-ministra dos Direitos Humanos, a deputada federal afirmou ainda que a chacina é fruto da “ideologia do ódio”

3885 0

Ex-ministra dos Direitos Humanos, a deputada federal afirmou ainda que a chacina é fruto da “ideologia do ódio”

Da Redação

A ex-ministra dos Direitos Humanos e deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) se manifestou pelo Twitter sobre a chacina que ocorreu em Campinas (SP) na noite de réveillon. “Quando idiotas repetem ataques contra Direitos Humanos criam monstros como esse assassino de Campinas”, afirmou, em referência à carta que o autor da chacina, Sidnei Ramis de Araújo, de 46 anos, enviou a amigos antes do crime.

Na noite deste domingo (1º) veio à tona os textos, onde ele anunciava seu plano de matar “o máximo de vadias da família juntas”. Disse ainda que a ex teria “que pagar pelo que ela fez”. Escreveu que a presidente Dilma Rousseff era uma vadia e que as mulheres se beneficiam da “lei vadia da penha”.

“Diante do ódio contra mulheres e deste crime, pergunte ‘onde estavam os Direitos Humanos?’ Buscando parar estes caras, criando lei Maria da Penha”, acrescentou.

Rosário completou dizendo que o teor da carta é repetido por muita gente, principalmente nas redes. “O assassino repete impropérios e asneiras violentas que gente bem conhecida diz em público. Inclusive aqui nas redes. Ideologia do ódio.”

Araújo, de 46 anos, entrou na festa de família onde estava sua ex-mulher Isamara Filier, e o filho do casal de 8 anos e os matou. Além deles, outras dez pessoas da família, sendo nove mulheres, foram assassinadas. Araújo atirou em si próprio após cometer os crimes.

Araújo e Isamara estavam em processo de separação e disputavam a guarda do filho.



No artigo

x