Jandira Feghali: “O machismo matou Isamara Filier, uma criança e mais 10 pessoas”

Para a deputada federal, "não é admissível que o discurso do machismo encontre eco em pleno século XXI”, como foi revelado em textos enviados pelo autor da chacina em Campinas na noite de réveillon

2300 0

Para a deputada federal, “não é admissível que o discurso do machismo encontre eco em pleno século XXI”, como foi revelado em textos enviados pelo autor da chacina em Campinas na noite de réveillon 

Da Redação

A deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ) foi mais uma parlamentar a se manifestar sobre a chacina que ocorreu na noite de ano novo em Campinas (SP). “Alguns dizem que o Feminismo não leva a nada, há quem diga que não existe machismo no Brasil, mas esse machismo matou Isamara Filier, uma criança, outras oito mulheres e três homens”, afirmou em sua página no Facebook.

Jandira também defendeu a Lei Maria da Penha, chamada por Araújo de “lei vadia da penha”. “Fui relatora da Lei Maria da Penha e andei por cada lugar desse país, onde eu ia havia relatos de agressão de diversas formas e tamanho, não é admissível que o discurso do machismo encontre eco em pleno século XXI”, disse.

“O momento é de fortalecer a Lei Maria da Penha e fazer com que ela se torne cada vez mais um instrumento de defesa das mulheres do Brasil inteiro, não podemos aceitar mais mortes resultantes da misoginia e intolerância, vamos lutar até o fim Pelo cumprimento da Lei Maria da Penha!”, concluiu.

O autor da chacina, Sidnei Ramis de Araújo, de 46 anos, havia revelado em textos enviados a amigos seu plano de matar a ex-mulher, Isamara Filier e “o máximo de vadias da família juntas”.

Araújo matou, além da ex-mulher, o filho do casal de 8 anos. Eles estavam em processo de separação e disputavam a guarda do filho.



No artigo

x