Alckmin fecha Oficina Cultural que funcionava há mais de 30 anos em Santos

O equipamento funcionava dentro da Cadeia Velha, prédio histórico da cidade, que abrigou ao longo dos anos eventos, oficinas, espetáculos, aulas, ensaios entre outras atividades. Para o lugar vai a Agência Metropolitana da Baixada.

2593 0

O equipamento funcionava dentro da Cadeia Velha, prédio histórico da cidade, que abrigou ao longo dos anos eventos, oficinas, espetáculos, aulas, ensaios entre outras atividades. Para o lugar vai a Agência Metropolitana da Baixada.

De Julinho Bittencourt

A Cadeia Velha de Santos, prédio histórico onde há mais de trinta anos funcionaram oficinas culturais mantidas pelo governo do Estado, será transformada na Agência Metropolitana da Baixada Santista (Agem). O anúncio foi feito na manhã desta quarta-feira (11) pelo secretário da Cultura José Roberto Sadek e também pelo subsecretário de Assuntos Metropolitanos, Edmur Mesquita.

Este é mais um desmonte dos inúmeros equipamentos e programas culturais que têm sido encerrados por governos tucanos. Ontem, o prefeito do PSDB de São José dos Campos, Felício Ramuth, anunciou o fim da Orquestra Sinfônica da cidade. Outro projeto detonado pelo tucanos é a Banda Sinfônica de São Paulo, que encerra suas atividades agora em janeiro.

O motivo alegado para o fim das oficinas foi a falta de recursos. A economia consiste em alojar a Agem, que até então paga aluguel, para a Cadeia, que pertence ao governo do Estado. Como prêmio de consolação, o Projeto Guri irá também para o imóvel.

A Cadeia Velha de Santos estava fechada desde 2013. O movimento cultural da cidade acompanhava o desenrolar das reformas e da destinação do prédio desde então. Em março de 2014, o governador Geraldo Alckmin anunciou a verba de R$ 7,5 milhões para obras de restauro, durante visita à cidade. Chegou a ser anunciado que a partir de agosto do ano passado a oficina cultural PAGU voltaria a funcionar dentro do prédio histórico. A reforma foi concluída e nada aconteceu desde então. A coletiva de hoje pegou a todos de surpresa.

O Governo do Estado destinava uma verba pífia de R$ 5 mil por mês para o funcionamento das oficinas culturais da Cadeia Velha. A “fortuna” será encaminhada para a prefeitura, através da secretaria de cultura. Este recurso, pouco antes do fechamento da Cadeia, em 2013, chegou a ser de R$ 120 mil/mês, mas foi minguando ao longo dos anos.



No artigo

x