Repórter é preso após fotografar ação de guardas civis em SP

Ele registrava a revista feita pela Guarda Civil Metropolitana em uma mulher quando foi levado para o 3° Distrito Policial pelos agentes.

1288 1

Ele registrava a revista feita pela Guarda Civil Metropolitana em uma mulher quando foi levado para o 3° Distrito Policial pelos agentes

Por Redação

preso2
Léo Pinheiro (Foto: Arquivo Pessoal)

Na tarde de ontem (31), o fotógrafo Léo Pinheiro foi preso ao registrar uma ação de revista da equipe da Guarda Civil Metropolitana (GCM) com uma moradora de rua. Segundo a Associação de Repórteres Fotográficos e Cinematográficos no Estado de São Paulo (Arfoc-SP), ele foi ameaçado caso continuasse a documentar a situação. Mesmo informando que era da imprensa, Léo foi levado ao 3° Distrito Policial em condição de preso.

A entidade acionou autoridades como a Secretaria de Segurança Pública e, com a repercussão do caso, os guardas mudaram a versão e afirmaram que o profissional foi conduzido como testemunha. “Claramente Léo foi desrespeitado, sofreu agressão verbal, ameaça de agressão física e em nenhum momento esteve na condição de testemunha. Foi preso!”, afirmou a Arfoc.

Léo Pinheiro estava fotografando em frente ao Teatro Municipal quando notou que a mulher era abordada pelos agentes da GCM na rua 24 de maio. Aparentemente com problemas mentais, de acordo com o jornalista, ela começou a se despir em via pública. O fotógrafo, então, decidiu posicionar sua câmera para registrar o tratamento dado pelos guardas diante do caso. a mulher acabou presa, sob acusação de furto a uma loja.



No artigo

1 comment

  1. Almeida Responder

    Demais haha lembro dessa notícia como se fosse hoje.


x