Médico que sugeriu matar Marisa é demitido

O neurocirurgião Richam Faissal Ellakkis fez o seguinte comentário em grupo de WhatsApp: “"Esses fdp vão embolizar ainda por cima. Tem que romper no procedimento. Daí já abre pupila. E o capeta abraça ela"

1649 0

O neurocirurgião Richam Faissal Ellakkis fez o seguinte comentário em grupo de WhatsApp: “”Esses fdp vão embolizar ainda por cima. Tem que romper no procedimento. Daí já abre pupila. E o capeta abraça ela”

Da Redação

A Unimed demitiu nesta sexta-feira (3) o médico neurocirurgião Richam Faissal Ellakk. Ele estava no grupo de WhatsApp, onde a médica Gabriela Munhoz, também demitida do Sírio-Libanês, enviou mensagens sobre o quadro de Marisa Letícia Lula da Silva, internada no dia 24 de janeiro, após sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC).

“Esses fdp vão embolizar ainda por cima. Tem que romper no procedimento. Daí já abre pupila. E o capeta abraça ela”, disse Ellakk no grupo. O médico trabalhava no hospital de São Roque, interior de São Paulo.
A direção da Unimed divulgou o seguinte comunicado: “A Unimed São Roque repudia veementemente as declarações dos médicos citados nas reportagens que abordam o vazamento de informações sigilosas durante o diagnóstico da ex-primeira dama Marisa Letícia Lula da Silva”.

“As demais medidas relacionadas ao caso estão sendo apuradas pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), conforme o Código de Ética Médica”, diz ainda a nota.

Leia também:

Saiba quem é o neurocirurgião que sugeriu procedimento para matar Marisa Letícia

Hospital demite médica que vazou informações de Dona Marisa

Cidadão “do bem”, o ódio contra Dona Marisa e as redes sociais



No artigo

x