Após boato de greve, Pezão anuncia aumento de 10% para policiais

O anúncio do reajuste do salário policiais militares e civis, bombeiros, agentes penitenciários e demais funcionários das secretarias de Segurança e Administração Penitenciária do Rio de Janeiro, em tempos cortes de gastos, mostram um...

967 0

O anúncio do reajuste do salário policiais militares e civis, bombeiros, agentes penitenciários e demais funcionários das secretarias de Segurança e Administração Penitenciária do Rio de Janeiro, em tempos cortes de gastos, mostram um temor do governador de que o estado vire um Espírito Santo

Por Redação

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), anunciou nesta quarta-feira (8) um reajuste de até 10,22% nos salários dos policiais militares e civis, bombeiros, agentes penitenciários e demais funcionários das secretarias de Segurança e Administração Penitenciária. Os servidores ativos da Educação também terão reajuste.

De acordo com Pezão, os vencimentos serão pagos na próxima terça-feira (14). A decisão foi tomada após uma reunião de mais de duas horas entre o governador, o secretário de Segurança Pública, Roberto Sá, e o comandante da Polícia Militar, Wolney Dias.

A medida vem apenas um dia após o boato que se espalhou, através das redes sociais e de aplicativos de mensagem como o Whatsapp, de que os policiais civis e militares do Rio de Janeiro entrariam em greve. O aumento, em meio a uma série de restrições orçamentárias, não vem por acaso. Há meses servidores do estado do Rio de Janeiro protestam por aumentos salariais e o anuncio do reajuste só veio após uma ameaça de greve, o que provavelmente instauraria no estado um caos igual ou ainda maior que o do estado vizinho, o Espírito Santo, que já registrou mais de 70 mortes, centenas de saques e assaltos e uma onda de violência incontrolável desde a paralisação dos policiais.



No artigo

x