Sujeito que denuncia Lula na “Isto É” é visivelmente perturbado

Um sujeito completamente perturbado é a fonte da revista “Isto É” desta semana que denuncia Lula. Sem apresentar nenhuma prova, ele teria sido emissário de uma mala repleta de dólares para o ex-presidente Lula. Vídeos postados pelo sujeito no Youtube, no entanto, mostram que...

1707 0

Um sujeito completamente perturbado é a fonte da revista “Isto É” desta semana que denuncia Lula. Sem apresentar nenhuma prova, ele teria sido emissário de uma mala repleta de dólares para o ex-presidente Lula. Vídeos postados pelo sujeito no Youtube, no entanto, mostram que é uma pessoa desequilibrada, que toma água parada há 50 dias para provar que o “seu mosquito (da dengue) não é manipulado pelo PT” entre outras bizarrices. Veja aqui.

Da Redação

Um sujeito completamente perturbado chamado Davincci Lourenço de Almeida é a fonte da revista “Isto É” desta semana que denuncia Lula sem prova alguma. Ele teria sido emissário de uma mala repleta de dólares para o ex-presidente. A revista o entrevista e estampa a sua foto na capa, como “sócio de ex-acionista da Camargo Correa”, morto há cinco anos.

Uma busca um mínimo cuidadosa pelas redes sociais, no entanto, mostra que o tal Davincci é um sujeito visivelmente perturbado, que destila seu ódio nas redes contra Lula e Dilma, pediu intervenção militar em cima de um caminhão se apresentando como “químico das forças armadas contratado para fazer a nanotecnologia das aeronaves do Exército”.

Em outro vídeo, ele chega a tomar água da chuva amarelada que, segundo ele, está há mais de 50 dias parada, para provar que “o meu mosquito não é manipulado, o meu mosquito não é do PT”.

A Abertura da matéria da revista, em tom sério e sensacionalista e sem apresentar nenhuma prova ou indício a não ser a palavra de um sujeito que inventa histórias mirabolantes, é visivelmente contrastante com os vídeos bizarros de Davincci, o delator.

“O personagem que estampa a capa desta edição de ISTOÉ chama-se Davincci Lourenço de Almeida. Entre 2011 e 2012, ele privou da intimidade da cúpula de uma das maiores empreiteiras do País, a Camargo Corrêa. Participou de reuniões com a presença do então presidente da construtora, Dalton Avancini, acompanhou de perto o cotidiano da família no resort da empresa em Itirapina (SP) e chegou até fixar residência na fazenda da empreiteira situada no interior paulista. A estreitíssima relação fez com que Davincci, um químico sem formação superior(???), fosse destacado por diretores da Camargo para missões especiais. Em entrevista à ISTOÉ, concedida na última semana, Davincci Lourenço de Almeida narrou a mais delicada das tarefas as quais ficou encarregado de assumir em nome de acionistas da Camargo Corrêa: o transporte de uma mala de dinheiro destinada ao ex-presidente Lula. “Levei uma mala de dólares para Lula”, afirmou à ISTOÉ.”



No artigo

x