Nem a direita mais golpista suporta carregar a reforma de Temer: “É crueldade”

A reforma da previdência é tão perversa que até apoiadores de primeira hora de Temer o alertam para recuar da pauta. Movimentos que apoiaram o impeachment, como o Vem pra Rua até tentaram, mas não conseguem carregar nas costas o saco de maldades proposto...

1256 0

A reforma da previdência é tão perversa que até apoiadores de primeira hora de Temer o alertam para recuar da pauta. Movimentos que participaram do impeachment, como o Vem pra Rua até tentaram, mas não conseguem carregar nas costas o saco de maldades proposto pelo governo golpista. As medidas são massacradas até nas redes de direita.

Da Redação com Informações da Coluna de Mônica Bérgamo

A reforma da previdência é tão perversa que até apoiadores de primeira hora de Temer o alertam para recuar da pauta. Movimentos que participaram do impeachment, como o Vem pra Rua até tentaram, mas não conseguem carregar nas costas o saco de maldades proposto pelo governo golpista. As medidas são massacradas até nas redes de direita.

Um dos que avisou Temer foi Rogério Chequer, porta-voz do Vem pra Rua. Ele conta que postou um vídeo, ao vivo, nas redes sociais defendendo mudanças na Previdência e só levou paulada. De acordo com ele, chegaram a chamar a proposta de ato de “crueldade”.

Chequer, que vai continuar defendendo mudanças, chegou à conclusão que todos apoiam reformas, mas ninguém quer mexer no próprio bolso nem abrir mão do que já usufrui. A base do movimento Vem pra Rua, segundo ele, é de pessoas entre 40 e 50 anos, a maioria homens.

Os alertas, tanto de movimentos quanto de deputados, acenderam o sinal amarelo no governo. Antes confiante, parte da equipe de Temer começa a perceber que a reforma da Previdência vai ser ainda mais difícil de passar no Congresso, sem alterações, do que já se imaginava.

Pesquisa feita na Câmara em dezembro mostrou que menos de dez deputados se animaram a defender a reforma da Previdência, contra meia centena que fez ataques ferozes à proposta.



No artigo

x