Lázaro Ramos comenta discussão sobre apropriação cultural: ‘Precisamos ouvir mais e respeitar mais’

Ator publicou um texto sobre o assunto em seu perfil no Instagram; leia na íntegra.

1632 0

Ator publicou um texto sobre o assunto em seu perfil no Instagram; leia na íntegra

Por Redação

Em seu perfil no Instagram, o ator Lázaro Ramos resolveu expor a sua opinião sobre um tema que tem gerado bastante discussão nas redes sociais: apropriação cultural. Ele afirmou não ter uma resposta exata sobre o assunto, mas pediu que o debate seja mantido com base no respeito às posições divergentes. “Tenho uma profunda sensação de que precisamos escutar mais e respeitar mais”, escreveu.

O termo gerou controvérsias nas últimas semanas, desde que a jovem Thauane Cordeiro, diagnosticada com câncer, relatou ter sido criticada por usar turbante em um metrô de São Paulo. Daniela Mercury também foi atacada ao se vestir de ‘Deusa de Ébano’ no Carnaval de Salvador, com uma peruca black power. Ela justificou a fantasia e disse que se tratava de uma homenagem à cantora Elza Soares e à cultura negra.

“Eu sou preta de pele branca porque a cultura da minha cidade é afro-brasileira e é isso que eu amo. Eu sou Michael Jackson ao contrário, adoro ser negra, minha música é negra, meu empoderamento é negro”, disse a artista ao site Bahia Notícias. Ela esteve no trio elétrico ao lado de Lázaro e a esposa, a atriz Taís Araújo, durante a festividade.

Veja abaixo a publicação de Lázaro Ramos na íntegra.

Carnaval chegando ao fim e o tema se impõe novamente. Apropriação cultural. Acho sim um tema relevante e sem uma resposta exata. Sem maniqueísmo e sem a solução final. Assim como todas as discussões ligadas à população negra penso sempre o quanto essas questões e essas vozes foram silenciadas. Excessos e dúvidas surgirão sim, mas quero acreditar que esse é um processo em andamento e que ao compreendermos todas as vozes teremos o equilíbrio e respeito necessários. Ah e a foto do Maestro Neguinho do samba? Bom… ele criou o samba reggae e já provocou muita discussão nesse aspecto. Viva Neguinho do samba e sua criação. Eu não tenho a resposta exata. Tenho uma profunda sensação de que precisamos escutar mais e respeitar mais. Homenagem? Apropriação? Essas são as palavras que me acompanharam na reflexão nesse fim de carnaval.
#Embuscadesabedoria #nao naturalizemos coisas ofensivas.



No artigo

x