O povo atribui a Lula a paternidade da transposição, diz prefeito

Declaração é do prefeito da cidade sertaneja de Sertânia (PSB), Angelo Ferreira: "Não sou eu quem estou dizendo. Estou dizendo o que o povo diz. O povo atribui a Lula a paternidade das obras. Essa é a grande verdade. E a gente tem que...

1019 0

Declaração é do prefeito da cidade sertaneja de Sertânia (PSB), Angelo Ferreira: “Não sou eu quem estou dizendo. Estou dizendo o que o povo diz. O povo atribui a Lula a paternidade das obras. Essa é a grande verdade. E a gente tem que ser justo. Lula foi quem efetivamente começou esse projeto”

Por Brasil 247

O prefeito de Sertânia, Angelo Ferreira (PSB), afirmou, nesta segunda-feira (6), que a população do município sertanejo atribui ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a paternidade das obras da Transposição do Rio São Francisco, que levará água a cerca de 12 milhões de pessoas em quase 400 cidades do interior dos estados de Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará.

“Não sou eu quem estou dizendo. Estou dizendo o que o povo diz. O povo atribui a Lula a paternidade das obras. Essa é a grande verdade. E a gente tem que ser justo. Lula foi quem efetivamente começou esse projeto”, disse o prefeito à Rádio Jornal.

Nas últimas semanas veio à tona a discussão sobre a paternidade da obra após o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), chamar parte da responsabilidade para si, no mês passado. “As tubulações e bombas que foram utilizadas no Cantareira agora estão servindo à população da Paraíba e de Pernambuco”, diz o texto publicado por Alckmin no Facebook (leia aqui).

Ao visitar no sábado (4) um trecho do projeto de transposição, em Sertânia (PE), o líder da oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE), informou que deve se reunir com o ex-presidente Lula e propor que o petista encabece “uma grande caravana pela Transposição”.

De acordo com o parlamentar, a ideia é que o ex-presidente mobilize a militância e percorra a obra reafirmando a contribuição dos governos do PT para o Nordeste e para País.

“O projeto de Transposição foi construído ao longo dos anos com a má vontade da oposição. Aqueles que estão hoje no governo, que assumiram por intermédio do golpe parlamentar, sempre se colocaram contra essa obra. Mas agora que ela se tornou uma realidade todos eles querem tirar uma casquinha. O governador Geraldo Alckmin, por exemplo, deixou São Paulo sem água por mais de um ano, mas vem aqui falar da obra como se fosse ele que tivesse feito. Por isso é fundamental desmontar essa tentativa de iludir o povo”, afirmou Humberto.

“O nordestino sabe que esse é um projeto, um trabalho de Lula e de Dilma e nós queremos no espaço mais curto possível fazer uma grande agenda pela transposição com Lula para reafirmar o nosso compromisso com Pernambuco e com o Nordeste”, acrescentou.

FHC barrou a obra

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) barrou as obras da transposição, descumprindo as promessas das suas duas campanhas eleitorais (1994 e 1998), o que, inclusive, foi tema de reportagem da Folha, em 2001. “O presidente Fernando Henrique Cardoso desistiu de realizar a transposição do rio São Francisco, uma das suas promessas eleitorais das campanhas de 1994 e 1998. A decisão foi comunicada a assessores e parlamentares, segundo apurou a Folha”, diz um trecho da reportagem do jornalista Thomas Traumann.

“A Folha apurou que, para evitar choque com as bancadas dos Estados beneficiados, o governo poderá manter a obra em suas previsões para o ano que vem. Mas será jogo de cena. Na realidade, o governo vai substituí-lo por um plano de incentivo à agricultura familiar e ao plantio de árvores nas margens do rio São Francisco, orçado em R$ 70 milhões”, continua.

Foto: Ricardo Stuckert



No artigo

x