Digitalização de documentos do golpe de 64 estão em fase de término no Arquivo Público de Pernambuco

Esse processo de digitalização fará com que o Acervo se torne o maior em relação à polícia política do nordeste e um dos maiores do país Por Pedro de Paula, colaborador da Rede Fórum...

3283 0

Esse processo de digitalização fará com que o Acervo se torne o maior em relação à polícia política do nordeste e um dos maiores do país

Por Pedro de Paula, colaborador da Rede Fórum

Em março de 2016 foi iniciado no Arquivo Público do estado de Pernambuco, localizado na Rua Imperial, 1069, no bairro de São José, centro do Recife, a digitalização de toda documentação produzida antes e depois do golpe de 1964.

Esses documentos são da extinta Delegacia de Ordem Pública e Social (DOPS-PE), e estima-se que o número de páginas chegue a mais de 1,8 milhão entre fotografias, fichas, recortes de jornais e documentos. O trabalho já dura quase um ano, período de término informado pelo coordenador do Arquivo Público, Evaldo Costa.

Esse processo de digitalização fará com que o Acervo se torne o maior em relação à polícia política do nordeste e um dos maiores do país. A documentação já foi reconhecida como patrimônio cultural da humanidade pelo programa memória do mundo (Memory of the World), da organização das Nações Unidas (ONU), com registros da década de 1930 até 1980.

O valor aproximado para realização do trabalho ficou em torno de R$1 milhão, em parceria com o Arquivo Nacional. Todo o processo digital faz parte da ampliação do Banco de Dados do Memórias Reveladas e estão disponíveis para acesso no site do acervo da DOPS-PE.

Confira, abaixo, alguma fotos do processo de digitalização.

Foto: Pedro de Paula
Foto: Pedro de Paula
Foto: Pedro de Paula
Foto: Pedro de Paula
Foto: Pedro de Paula
Foto: Pedro de Paula
Foto: Pedro de Paula
Foto: Pedro de Paula
Foto: Pedro de Paula
Foto: Pedro de Paula



No artigo

x