Censura: Ministério Público do Trabalho barra lançamento de livro sobre reforma da Previdência

A denúncia é do presidente da Associação Latino-Americana de Juízes do Trabalho (ALJT), Hugo Cavalcanti Melo Filho. O lançamento do livro “O Golpe de 2016 e a Reforma da Previdência” foi barrado no Ministério...

1877 0

A denúncia é do presidente da Associação Latino-Americana de Juízes do Trabalho (ALJT), Hugo Cavalcanti Melo Filho. O lançamento do livro “O Golpe de 2016 e a Reforma da Previdência” foi barrado no Ministério Público do Trabalho de Curitiba (PR)

Por Gibran Mendes 

O presidente da Associação Latino-Americana de Juízes do Trabalho (ALJT), Hugo Cavalcanti Melo Filho, denunciou nesta quinta-feira (16), em Curitiba, um episódio, segundo ele, de censura envolvendo o Ministério Público do Trabalho do Paraná e anunciou que enviará um documento ao Procurador-Geral do Trabalho sobre o episódio que impediu o lançamento de um livro sobre a reforma da previdência.

Melo Filho participava de um seminário sobre assédio moral no auditório da instituição onde, ao final do evento, seria realizado o lançamento da obra O Golpe de 2016 e a Reforma da Previdência. “Vou denunciar aqui um ato contra a democracia praticado na cidade de Curitiba e o pior: pelo chefe do Ministério Público do Trabalho da 9ª Região”, disse o magistrado ao iniciar o que seria sua palestra no evento.

“Que tenhamos juízes obscurantistas que não comungam com a diversidade de opinião, que taxam de idólatras de determinadas ideologias que defendem a democracia e que atacaram e acusaram no Facebookos organizadores do evento de apropriar-se de prédio público, infelizmente, nada podemos fazer. Que esses juízes façam isso e sejam acompanhados por meia dúzia de procuradores, nada podemos fazer. Que isso reverbere, infelizmente, nada podemos fazer. Mas que o Procurador-Chefe sucumba a este tipo de pressão na casa que deveria ser da defesa da democracia – porque essa é a medida constitucional do MP – isso não podemos aceitar”, completou.

Melo Filho, então, anunciou que encaminharia ainda quinta-feira (16) ao Procurador-Geral do Trabalho um documento comunicando o fato que impediu o lançamento do livro em Curitiba. “Isso é uma vergonha para a instituição, sucumbindo a pressão do que há de mais retrógrado e atrasado em nosso País. Também darei ampla divulgação a esse episódio. Deixarei os senhores agora e me recuso a fazer qualquer palestra e faço minhas escusas aos organizadores do evento”, disse o magistrado antes de deixar a sede do Ministério Público do Trabalho do Paraná.

O livro “O Golpe de 2016 e a Reforma da Previdência” reúne 76 artigos de 95 autores de diferentes setores, mas todos ligados às relações de trabalho. São personalidades do meio sindical, acadêmico e jurídico. O presidente da ALJT é um dos organizadores da obra.

A reportagem tentou entrar em contato com o Ministério Público do Trabalho do Paraná para ouvir a sua versão sobre o cancelamento do lançamento do livro. Contudo, em todas as tentativas, não foi possível estabelecer uma conexão com a Assessoria de Imprensa da entidade uma vez que os ramais disponíveis não atendiam.



No artigo

x