“Condução coercitiva foi arbitrária e é perseguição política”, diz blogueiro

O blogueiro Eduardo Guimarães foi liberado após ser levado de sua casa para a Polícia Federal na manhã desta terça-feira (21) para a Polícia Federal.

720 0

Da Redação

O blogueiro Eduardo Guimarães foi liberado após ser levado de sua casa para a Polícia Federal na manhã desta terça-feira (21). “Eu e meus advogados não entendemos a razão da condução coercitiva. Não existe uma razão lógica para me trazer obrigado até aqui”, disse o blogueiro.

Segundo ele, o motivo da condução coercitiva seria a matéria que divulgava que o ex-presidente Lula também conduzido coercitivamente, em março de 2016. “Recebi de uma fonte essas informações, queriam saber se tenho alguma ligação com essa fonte. Declarei que não conheço, divulguei, porque é meu trabalho como jornalista divulgar as informações.”

Para Eduardo Guimarães, a condução coercitiva foi arbitrária. Seu advogado Fernando Hideo declarou que não houve qualquer intimação prévia. “Se houvesse a intimação e ele não tivesse comparecido, eventualmente poderia haver a condução”, explicou. “A segunda arbitrariedade é a violação do sigilo de fonte. A fonte dele tem que ser preservada, isso está na Constituição Federal. É uma perseguição nitidamente política. Foi uma arbitrariedade”, afirmou.

Assista ao vídeo dos Jornalistas Livres

Leia também:

Moro diz a deputado Paulo Teixeira que condução coercitiva de Edu é porque ele não é jornalista



No artigo

x