Delator afirma que Odebrecht depositou propina para Aécio em NY

O ex-presidente da Odebrecht Benedicto Junior deu detalhes do esquema em que a empreiteira teria feito depósitos para o senador em uma conta com sede em Nova York, operada por sua irmã, a jornalista Andrea Neves Por...

645 0

O ex-presidente da Odebrecht Benedicto Junior deu detalhes do esquema em que a empreiteira teria feito depósitos para o senador em uma conta com sede em Nova York, operada por sua irmã, a jornalista Andrea Neves

Por Redação

O ex-presidente da Odebrecht Infraestrutura, Benedicto Junior, um dos 78 executivos da empreiteira a firmar acordo de delação com a Justiça, disse em seu depoimento que a empresa fez depósitos para o senador Aécio Neves (PSDB-MG) em uma conta com sede em Nova York, operada por sua irmã, a jornalista Andrea Neves.

De acordo com Benedicto, os valores foram pagos como contrapartida ao atendimento de interesses da construtora em empreendimentos como a obra da Cidade Administrativa do governo mineiro, realizada entre 2007 e 2010. Também teria havido intervenção do tucano na construção da usina hidrelétrica de Santo Antônio, em Rondônia, de cujo consórcio participa a Cemig, a estatal mineira de energia elétrica.

As informações, que dão detalhes da conta e dos repasses feitos, já foram homologadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF). O ex-presidente da Odebrecht era amigo de Aécio e era visto frequentemente jantando com ele no Rio. O senador já é um dos políticos mais citados nas denúncias da companhia. Dos 83 inquéritos que a Procuradoria-Geral da República pediu para abrir com base nas delações, seis se referem a Aécio.

Ele também seria o político que recebeu uma das mais altas somas da construtora, 70 milhões de reais, considerando-se os pagamentos de 2003 até agora. A quantia não apareceu nas contas de campanha de Aécio declaradas ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O assunto foi aprofundado em uma reportagem da revista Veja publicada na sexta-feira (31).

Foto: Divulgação



No artigo

x