Doria gasta R$ 800 mil com propaganda para dizer que acabou com uma fila na saúde. Só que formou outra

Para acabar as filas para exames, a gestão tucana teve de deixar em segundo plano os pacientes que procuraram as unidades de saúde a partir de janeiro deste ano, ou seja, provocou a criação de uma nova fila, de 94,7 mil pessoas.

637 0

Para acabar as filas para exames, a gestão tucana teve de deixar em segundo plano os pacientes que procuraram as unidades de saúde a partir de janeiro deste ano, ou seja, provocou a criação de uma nova fila, de 94,7 mil pessoas.

Da Redação com Informações da Folha

A gestão João Doria (PSDB) gastou R$ 804.959,44 para veicular na televisão propagandas nas principais emissoras de TV da capital paulista para anunciar o fim da fila de exames, uma de suas principais promessas de campanha, com o programa Corujão da Saúde.

Apesar da meta cumprida, a Folha mostrou nesta semana que, para isso, a gestão tucana teve de deixar em segundo plano os pacientes que procuraram as unidades de saúde a partir de janeiro deste ano, ou seja, provocou a criação de uma nova fila, de 94,7 mil pessoas.

Questionado sobre essa nova fila, Doria disse nesta segunda (3) que até dois meses é um prazo aceitável para o atendimento de exames. “As demandas continuam a existir. As demandas da população vão ser atendidas dentro de prazos aceitáveis, ou seja, dentro de 60 dias –considerando a urgência e a gravidade. Os mais urgentes, no limite de 30 dias”, disse.

Para atingir a meta, a administração municipal contou com a parceria de hospitais e clínicas privadas, que passaram a atender os pacientes da rede municipal nos horários em que seus equipamentos para exames estão ociosos –nos finais de tarde e durante a noite, principalmente.

 



No artigo

x