Doria admite deixar a prefeitura e ser candidato a governador “se Alckmin pedir”

O prefeito descartou mais uma vez uma candidatura sua à presidência: “Tenho o dever da lealdade com ele (Alckmin)”.

735 0

O prefeito descartou mais uma vez uma candidatura sua à presidência: “Tenho o dever da lealdade com ele (Alckmin)”.

Da Redação com Informações do Estadão

O prefeito João Doria admitiu, em entrevista ao Estadão, neste sábado (8) que deixaria a prefeitura para ser candidato ao governo estadual, caso isso fosse um pedido de Alckmin: “Bom, se ele pedir, mais adiante ou no futuro, vamos analisar essa situação. Hoje ela não existe, não houve apelo. Eu nem sequer trato desse assunto com o governador, que sabe da minha lealdade. Aliás, um dos valores que preservo é a lealdade”, completou.

Sobre a sua propalada e cada vez mais iminente candidatura à presidente em 2018, Doria reiterou a sua lealdade ao seu padrinho político:

“Geraldo Alckmin é o meu candidato a Presidência da República. É um homem correto, um bom gestor, um bom administrador, um homem em quem eu confio e, além disso, tenho o dever da lealdade com ele.”

Sobre a declaração do deputado Jair Bolsonaro sobre os dois serem diferentes dos demais políticos, Doria disse: “Não cabe a mim fazer essa análise. Não me autointitulo. Não sou de esquerda nem de direita nem de centro. Sou um gestor, um administrador, não quero fazer política, quero fazer gestão”.

Doria fez ainda referência elogiosas ao seu antecessor: “Preservo a figura do Fernando Haddad porque reconheço nele uma boa pessoa, um fato raríssimo dentro do PT, ele é honesto, mas não poupo o PT nem vou poupar”.



No artigo

x