Urgência no projeto de reforma trabalhista é derrotado na Câmara e, no tumulto, Erundina “assume” presidência

Eram necessários 257 votos favoráveis para aprovar a manobra de Maia e dar urgência ao projeto, mas o requerimento obteve apenas 230 votos e 163 contrários. Mesa diretora foi tomada por deputados oposicionistas ao...

897 0

Eram necessários 257 votos favoráveis para aprovar a manobra de Maia e dar urgência ao projeto, mas o requerimento obteve apenas 230 votos e 163 contrários. Mesa diretora foi tomada por deputados oposicionistas ao governo com gritos de “Fora Temer” e Erundina sentou na cadeira da presidência: “Passo a palavra ao deputado Rogério Marinho, relator dessa desgraça desse projeto”, disse. Assista

Por Redação

A Câmara reprovou na tarde de hoje (17) a manobra do presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de colocar urgência para votação do substitutivo ao Projeto de Lei (PL) 6.787, de reforma da legislação trabalhista. Foram 230 votos pela urgência e 163 contrários, sendo que eram necessários 257 votos para a aprovação.

Logo após o resultado aparecer no painel, deputados da oposição comemoram gritando “Fora, Temer”.

A sessão foi tumultuada e deputados oposicionistas ao governo tomaram a mesa diretora com palavras de ordem contra a reforma. A deputada federal Luiza Erundina (PSOL-SP) chegou a sentar na cadeira da presidência. Passo a palavra ao deputado Rogério Marinho, relator dessa desgraça desse projeto”, disse.

Confira aqui como votou cada deputado e, abaixo, o vídeo do momento em que deputados comemoram a derrota do requerimento de urgência.



No artigo

x