Coletivo Negro denuncia post racista de calouro: “Triste porque pararam de vender negros”

A piada de mau gosto de um calouro do curso de agronomia da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) causou grande repercussão nas redes e foi repudiada pelo Coletivo Negro, que deve entrar com...

360 0

A piada de mau gosto de um calouro do curso de agronomia da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) causou grande repercussão nas redes e foi repudiada pelo Coletivo Negro, que deve entrar com ação conjunta com outras organizações sociais no Ministério Público Estadual.

Da Redação com Informações do G1

Provavelmente para fazer graça com os novos colegas, um calouro do curso de agronomia da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) fez postagem racista em que diz gostar muito de negros. “Tenho amigos negros. Só fico triste porque pararam de vender”. A piada de mau gosto teve o efeito contrário, causou grande repercussão nas redes e foi repudiada pelo Coletivo Negro da UFMT.

Segundo a representante do Coletivo, Zizele Ferreira, o grupo deve entrar com uma ação conjunta com outras organizações sociais no Ministério Público Estadual (MPE-MT).

Ao G1, o estudante disse que fez a postagem sem intenção de ofender e reconheceu o erro. “Quando vi a repercussão, logo apaguei e postei um pedido de desculpas a todos que ofendi”, declarou. Ele alegou que após a publicação o perfil dele na web foi atacado e ele recebeu ameaças. O estudante preferiu não se identificar.

A postagem feita no dia 12 de abril foi apagada do perfil dele na internet após a repercussão do conteúdo, mas registrada por movimentos sociais da UFMT. Para Zizele, que é professora e pesquisadora da juventude negra em Mato Grosso, a mensagem tem cunho racista e discriminatório.

“Ele mexeu com uma população que foi escravizada por mais de 300 anos. Considerar que práticas racistas se tornam brincadeiras é negar dignidade e direitos para uma parcela da população que construiu esse país. Queremos a judicialização e punição do crime que ele cometeu”, declarou.

A União Nacional dos Estudantes em Mato Grosso (UNE-MT) publicou uma carta de repúdio contra a postagem do estudante. “Repudiamos veementemente as atitudes racistas do estudante e daqueles que tratam com naturalidade o seu crime. Exigimos respeito com as pessoas negras que constroem e construíram este país”, diz trecho da carta pública.

Além da postagem, os movimentos sociais repudiaram os comentários e reações de amigos do estudante na rede social. Um deles diz que vai replicar a mensagem porque achou engraçada.

“Isso quebra a tese que racismo não existe e mostra que é algo ainda vigente na nossa sociedade. O que incomoda também é a risada das pessoas, que tentam maquiar o processo de discriminação”, declarou a representante do Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial (CEPIR-MT).

 



No artigo

x