Como se não fosse com ele, Temer diz que é triste ver seu governo envolvido em corrupção

"Sim, me parece triste, não posso dizer outra coisa. Mas é necessário esperar que o Poder Judiciário condene ou absolva as pessoas", declarou em entrevista ao canal de TV espanhol 'TVE'.

371 0

“Sim, me parece triste, não posso dizer outra coisa. Mas é necessário esperar que o Poder Judiciário condene ou absolva as pessoas”, declarou em entrevista ao canal de TV espanhol ‘TVE’.

Da Redação com informações da TVE

Em mais uma de suas declarações fora da realidade, Michel Temer disse achar “triste” ver dezenas de parlamentares e oito ministros de seu governo acusados de corrupção na Lava Jato, ignorando completamente que ele próprio é delatado por negociar uma megapropina para seu partido.

“Sim, me parece triste, não posso dizer outra coisa. Mas é necessário esperar que o Poder Judiciário condene ou absolva as pessoas”, declarou em entrevista ao canal de TV espanhol ‘TVE’, que foi gravado na quinta-feira 20 e exibido neste sábado (22), na Espanha.

“O Brasil não para, portanto não serão os efeitos de atos de corrupção que poderão parar o país”, completou Temer.  A entrevista foi concedida às vésperas da visita do primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, ao Brasil, na segunda e terça-feira.

Temer é acusado em delação da Odebrecht de ter participado de uma reunião em que foi acertada uma propina de US$ 40 milhões para o PMDB. Ele confirma a existência e a participação na reunião, mas nega a negociação do repasse ilegal. Temer só não é investigado porque o procurador-geral, Rodrigo Janot, lhe deu imunidade, usando para isso uma jurisprudência equivocada.

Na entrevista, ele também disse considerar que o juiz Sergio Moro, que julga os processos da Lava Jato em primeira instância, “cumpre seu papel adequadamente”. “Creio que ele [Moro] cumpre seu papel adequadamente, qualquer consideração negativa que eu faça sobre as delações será prejudicial porque pode passar a ideia de que se quer acabar com a Lava Jato”, declarou.

 



No artigo

x