Quem é o grande banqueiro do depoimento de Palocci, pergunta Ciro

Durante uma palestra, o ex-governador e presidenciável Ciro Gomes destacou que a imprensa não deu "uma linha" sobre o trecho do depoimento de Antonio Palocci em que ele conta que "um grande banqueiro" chegou junto a ele para negociar o processamento de recursos de...

808 0

Durante uma palestra, o ex-governador e presidenciável Ciro Gomes destacou que a imprensa não deu “uma linha” sobre o trecho do depoimento de Antonio Palocci em que ele conta que “um grande banqueiro” chegou junto a ele para negociar o processamento de recursos de R$ 200 milhões da Odebrecht.

Da Redação com Informações do Brasil 247

O ex-governador do Ceará e presidenciável Ciro Gomes destacou, durante uma palestra, que a mídia não quis saber quem é o grande banqueiro citado pelo ex-ministro Antonio Palocci durante seu depoimento ao juiz Sergio Moro, na última quinta-feira 20 (confira o vídeo abaixo).

“Palocci foi lá na República de Curitiba depor. Pelas tantas, respondendo perguntas de seu próprio advogado, portanto bem ensaiadinho, disse assim: ‘um belo dia, um grande banqueiro me procurou para administrar uma provisão de dinheiro de R$ 200 milhões da Odebrecht'”, lembrou Ciro.

Em seguida, ele destacou que Palocci falou que o banqueiro, por ser tão importante, poderia tratar direto com Marcelo Odebrecht. “Hoje, na imprensa brasileira, não tem uma linha que estabeleça a natural curiosidade de dizer: quem é este banqueiro?”, colocou Ciro Gomes.

“Sendo que, no Brasil, o sistema financeiro tem cinco [banqueiros]. E se for grande, tem dois. Um dos dois é muito velhinho, não anda fazendo essa arrumação. Que é o doutor Lázaro Brandão. Opa, Houston, we have a problem”, prosseguiu Ciro.

Em seu depoimento, Palocci declarou: “Um banqueiro me procurou e disse: ‘olha, eu estou aqui mandatado por uma pessoa do governo e eu quero dizer que eu vou cuidar das coisas relativas a financiamento de campanha, a reservas, a provisões. Queria saber se você pode me ajudar'”.

“Era em um lugar público, e ele é uma pessoa meio conhecida, então eu respondi: ‘a presidente Dilma sabe que o senhor está aqui?’. Ele respondeu que não, mas que estava em nome de uma autoridade do primeiro escalão do governo”, continuou o ex-ministro.

Moro então perguntou o que isso tinha a ver com a Odebrecht, e Palocci respondeu “eu vou chegar lá”. O ex-ministro disse ao juiz que não gostaria de dizer o nome do banqueiro nessa audiência, porque era pública, mas que estava à disposição para dizer a Moro, sob sigilo, a informação que ele quisesse, e que isso poderia ser inclusive logo depois da audiência. Assista abaixo:



No artigo

x