Lula sobre encontro com Moro: “Estou ansioso”

Lula afirmou, em evento da Fundação Perseu Abramo, que entre todos, é o mais interessado em trazer a verdade à tona. Ex-presidente ainda comentou declarações de Léo Pinheiro: “Eu vi agora a pressão que...

375 0

Lula afirmou, em evento da Fundação Perseu Abramo, que entre todos, é o mais interessado em trazer a verdade à tona. Ex-presidente ainda comentou declarações de Léo Pinheiro: “Eu vi agora a pressão que fizeram com o Leo, um cara que já está condenado a 26 anos. Nessa situação ele falaria até da mãe”

Por Redação

O ex-presidente Lula participou, na tarde desta segunda-feira (24), do Seminário de Economia “Estratégias para a economia brasileira: desenvolvimento, soberania e inclusão”, organizado pelo PT e pela Fundação Perseu Abramo, em Brasília (DF). Em sua fala, o petista se disse ansioso para prestar depoimento ao juiz Sérgio Moro em Curitiba (PR). O encontro estava marcado para o dia 5, mas, de acordo com alguns veículos de imprensa, teria sido adiado para o dia 10 de maio. Moro ainda não confirmou.

“Eu estou ansioso para o depoimento ao Sérgio Moro. É meu direito de poder falar. Não estou preocupado com a data, isso é com o juiz Moro”, disse, desafiando ainda a força-tarefa da Lava Jato a encontrar nem que seja R$1 ilícito em sua conta.

“Eu acho que está chegando a hora de parar de falatório e mostrar a prova. Eu quero que eles mostrem um real numa conta minha que seja propina. Não precisa ser 100 milhões, basta um real”, afirmou.

As declarações do ex-executivo da OAS, Léo Pinheiro, que tenta o incriminar com  caso do triplex no Guarujá, tambem foram comentadas pelo ex-presidente.

“Eu vi agora a pressão que fizeram com o Léo, um cara que já está condenado a 26 anos. Nessa situação ele falaria até da mãe”, brincou.

Lula aproveitou sua fala ainda para, naturalmente, tecer críticas ao governo Temer.

“Esse país não precisa ter alguém ocupando o cargo indevidamente, alguém que não tem popularidade, mas diz que tem voto no Congresso. Esse país precisa ser governado por alguém que saiba cuidar de 204 milhões de pessoas que precisam ser cuidadas”, pontuou.

Sobre a possibilidade de ser reeleito presidente em 2018, o petista deixou claro que não manterá relações com as organizações Globo e nem mesmo falará com a Veja.

“Eles vão ter que entender que estarão lidando com um cidadão diferente. Se não sabem lidar com as mentiras que eles inventarem, eu não posso fazer nada”.

Foto: Ricardo Stuckert

 



No artigo

x