Professor é suspenso da Universidade de Brasília após denúncia de assédio sexual contra alunas

Estudantes contaram ter sido vítimas de toques indesejados, comentários machistas e que foram obrigadas a ficar em posições constrangedoras durante atividades da disciplina Por Redação...

810 0

Estudantes contaram ter sido vítimas de toques indesejados, comentários machistas e que foram obrigadas a ficar em posições constrangedoras durante atividades da disciplina

Por Redação

O professor de audiovisual Mauro Giuntini, da Faculdade de Comunicação (FAC) da Universidade de Brasília (UnB), foi suspenso pela instituição por 60 dias após acusações de assédio moral e sexual.

Em dezembro de 2015, foi enviado à reitoria um dossiê organizado pelo Centro Acadêmico de Comunicação Social com relatos de alunas que teriam sido vítimas de toques indesejados, comentários machistas e que foram obrigadas a ficar em posições constrangedoras durante atividades da disciplina.

Algumas contaram que precisaram ficar de quatro, vestindo saia, e suas reclamações foram ignoradas pelo professor. Em outra ocasião, ele teria feito comentários sobre as pernas de uma estudante, que usava short.

As denúncias vieram a público com a campanha #meuamigosecreto, realizada nas redes sociais para que mulheres pudessem compartilhar histórias de machismo sofrido no cotidiano.



No artigo

x