Patrícia Lélis: Não se deixe ser abusada

“Você já se deu conta de quantas vezes foi abusada?”. Em novo artigo na Fórum, a ex-militante do PSC que denunciou Marco Feliciano explica os tipos de abuso a que uma mulher pode estar...

823 0

“Você já se deu conta de quantas vezes foi abusada?”. Em novo artigo na Fórum, a ex-militante do PSC que denunciou Marco Feliciano explica os tipos de abuso a que uma mulher pode estar submetida e conta experiências pessoais. Leia 

Por Patrícia Lélis

Pode ter sido por um namorado que escolhia suas roupas e a cor do seu batom, ou pelo pai que diz que você tem hora para chegar em casa, por ser mulher. Ou por todas as vezes que teve que lavar a louça depois do jantar enquanto seu irmão jogava vídeo game, afinal lavar louça é coisa de mulher.

E sobre cuidar da casa? Até hoje são raros os homens que compartilham os cuidados diários da casa com as mulheres, lembrando que a maior parte das mulheres que cuidam diariamente da casa e filhos, também trabalham fora.

Quando eu era de extrema direita e alguém me colocava alguns desses questionamentos sobre os abusos diários eu sempre respondia que “o mundo está ficando muito chato”, mas no fundo eu sabia que o que eu dizia defender era errado, porém não podia expor isso. O mundo não está ficando chato, o fato é que as minorias começaram a ter um pouco de liberdade de expressão, e isso inclui você, mulher.

Parei para pensar na quantidade de vezes que já escutei “lugar de mulher não é na política”, e todas as vezes que eu escutava isso, sentia uma enorme tristeza. Afinal segundo as lendas que percorrem os corredores da Câmara e Senado, mulher bonita que trabalha com política, com certeza está lá porque alguém indicou e não pelo fato de ser capaz. Quantas vezes temos nossos sonhos interrompidos pelo fato de sonharmos com coisas que “não são para mulheres”, ou deixamos de dizer algo, por medo de sofrermos algum tipo de represaria?

Quantas mulheres não sonham em ser políticas, engenheiras, empresarias de sucesso e escutam isso? Então quer dizer que a mulher nasceu destinada a ser uma bela, recatada e do lar? Que a suposta “mulher de verdade” tem que casar com um homem mais velho e rico e aceitar o que será imposto a ela durante a sua vida?!

A sociedade ainda não entende muito sobre “a diversas formas de abuso” e, sim, existem várias. Existe o que a maior parte entende como abuso, que é o físico que é aquele quando alguém te empurra, te chuta, te machuca, deixa marcas no seu corpo. Mas também é abuso a pessoa que te calunia, te humilha, destrói seus objetos, não te deixa trabalhar, diz que você não é capaz ou merecedora…. Existe diversas formas de abuso, e a maior parte das mulheres não sabem disso.

De todas as formas de abuso que existe, a que mais me preocupa é o abuso psicológico, que é aquele que não deixa marcas no seu corpo, mas sim no seu coração e mente. E sabe o motivo que me leva a ter tal preocupação? A maior parte das mulheres deixa esse tipo de abuso passar em branco e chegam ao ponto de concordar com o seu abusador. Quantas vezes aquele seu namoradinho não disse que você era louca, manipuladora, ciumenta demais? E no final, ele sempre saia com a razão.

Vou contar uma experiência própria:

Namorei por um bom tempo com um homem que se dizia o melhor homem do mundo, que dizia todos os dias que eu tinha muita sorte dele querer namorar comigo, e que se algum dia eu pensasse em terminar com ele, eu jamais teria alguém tão bom quanto ele, isso se eu conseguisse ter alguém novamente, segundo ele claro. Acreditei por um bom tempo nele, nesse “incrível” homem perfeito , e por diversas vezes tive medo de contar as coisas que ele fazia comigo, eu de expor o dono da moral, pelo simples fato de pensar que ele poderia está certo e eu mais uma vez errada.

Uma das coisas que mais me lembro, é de todas as vezes que eu contava sobre qual era o meu sonho profissional, e ele dizia “claro que você não vai conseguir, mulher igual você nasceu para ficar em casa”, e por um bom tempo acreditei que ele tinha razão, afinal, quem era eu para conseguir chegar em uma carreira profissional de alto nível?

Hoje quando paro para pensar, me questiono onde estava a minha cabeça em aceitar tal ato absurdo. Mas o que me levava a entregar a senha do meu celular, facebook, e e-mail para ele? Qual o motivo que eu deixava ele escolher qual a roupa que eu iria usar, a cor do meu batom que nunca podia ser muito forte, ou até mesmo a foto que eu deveria postar ou não? Fora as vezes que eu saia com minhas amigas, e ele ia até o local para ver se eu realmente estava lá.

Então encontrei a reposta, de uma forma até muito simples: Eu não fui criada entendendo a diversas formas de abuso. Eu não tive uma criação onde aprendesse que tudo tem limite, principalmente quando o assunto é relacionamento. Você não precisa dá as suas senhas das redes sócias, seu parceiro não precisa conhecer todos os amigos para você poder sair com eles, você não precisa que alguém te diga qual roupa você vai usar, ou de alguém para escolher onde você vai, com que batom você vai. Isso não é relacionamento, isso é abuso.

E nós mulheres temos que ajudar outras mulheres sempre, mas quando o assunto for a diversas formas de abuso, precisamos nos ajudar ainda mais. Não é fácil reconhecer um relacionamento abusivo que se disfarça de amor. Não é fácil entender que aquele eu namorado que se diz ser o melhor namorado do mundo, na verdade não passa de um abusador e sugador de suas energias e tempo.

Temos que lembrar que nenhuma mulher nasce feminista, mas torna-se. Por isso mais uma vez vou defender que nós mulheres temos que ser mais paciente com outras mulheres. Ninguém nasce descontruída, e cada mulher tem o seu tempo de desabrochar e florescer. E nesse tempo não devemos julgar, apontar os erros, mas sim aconselhar, escutar e estar presente. Eu sempre serei eternamente grata a todas as mulheres que de alguma forma fazem parte da minha desconstrução diária. Principalmente as minhas amigas Marcela Casagrande e Mariana Rosa, elas me escutam sem me julgar, compartilham por diversas vezes as minhas dores, e sempre me aconselham com muito amor, carinho e paciência.

Diversas pessoas me perguntam se fico chateada com o que outras mulheres dizem ao meu respeito, e sinceramente, não fico! Todas as vezes que vejo alguma mulher dizendo coisas absurdas, falsas, e de baixo calão ao meu respeito, sinto apenas uma coisa: empatia, afinal não sei o que aquela mulher vive, não sei qual o contexto diário de sua vida. Eu mesmo já ataquei diversas mulheres que hoje me ajudam e eu não as conheciam, não sabia quem elas são. Temos que lembrar que a boca reproduz o que o coração está cheio.

Preencha o seu coração e pensamento de coisas positivas, ainda mais quando for sobre outra mulher. Tenha paciência com aquela sua amiga que não consegue terminar de vez com o namorado, ela precisa muito de você. E jamais deixe de acreditar em si, jamais deixe alguém dizer que você não é capaz, ou que não vai conseguir pelo simples fato de ser mulher. Crie o habito de se olhar no espelho todos os dias de manhã e se lembrar da mulher incrível e forte que você é. Comece a questionar o ciúme excessivo do seu namorado, que ele diz que é cuidado com você, mas na verdade é abuso.

Comece a questionar se esse relacionamento realmente te faz feliz, te faz bem. Amar também é dá liberdade e principalmente respeito. Não tenha medo de dizer para o seu namorado abusador um grande “não”, você pode até ficar com receio de ter feito a escolha errada por uns dias, mas esses dias vão passar, e você verá que não era amor.

Tenha cuidado com suas amizades, escolha quem te ajude, te escute, alguém que te aconselhe sem julgamento. Não é apenas relacionamentos entre casais que podem ser abusadores, mas relações entre amigos e familiares também. E não se culpe por não entender as diversas formas de abuso, eu também não entendo, mas todos os dias procuro questionar todo o tipo de relação que mantenho.

Atualmente quando eu vejo esse ex-namorado, sinto orgulho da grande escolha certa que fiz para a minha vida. Hoje o eu vejo de longe, mas ainda me lembro de todas as vezes que ele dizia que eu deveria ficar em casa cuidando da casa, que não deveria usar batom vermelho já que não combinava com minha cara de boneca, o mesmo homem que se dizia ser o melhor namorado do mundo, esse mesmo, que praticamente me monitorava 24 horas por dia, e sabe o que eu vejo? Mais um falso moralista, que no final das contas tinha receio do dia em que eu descobrisse o meu tamanho e valor. Ele jamais suportaria conviver ao lado de uma grande mulher.

Não pense que você não é merecedora de um homem que sonha os seus sonhos com você, de um homem que sinta orgulho por estar com uma mulher guerreira, de sucesso, bem resolvida e cheia de opinião própria. A partir do dia que eu comecei a entender isso, e principalmente aceitar que eu sou merecedora de um relacionamento saudável que não se sufoca, mas me dá ar para respirar, comecei a viver a vida de outra forma. Procure sempre por relacionamentos equilibrados, seja com amigos, namorados ou familiares.

Ame-se a cada dia mais e, a partir disso, você entenderá que o amor liberta e não abusa.

Foto: Mari Rosa



No artigo

x