Doria, o mau exemplo

O prefeito que começou sua gestão se vestindo de gari e fingindo limpar a cidade, arremessou as flores pela janela do carro e, além de sujar a cidade, esqueceu que, segundo o Código Nacional...

399 0

O prefeito que começou sua gestão se vestindo de gari e fingindo limpar a cidade, arremessou as flores pela janela do carro e, além de sujar a cidade, esqueceu que, segundo o Código Nacional de Trânsito estabelece multa média de R$ 130 reais e quatro pontos na carteira para “quem atirar ou abandonar na via objeto e substâncias”

Por Alencar Santana Braga*

O Prefeito de São Paulo tem transformado sua gestão em uma aberração midiática diária: passa o dia fazendo vídeos para o Facebook e tentando passar a impressão que é trabalhador quando, na verdade, tem feito uma administração ruim, abandonado a zeladoria da cidade, paralisado obras, aumentado as tarifas do transporte público, cortado verbas das escolas e permitido o aumento das filas por vagas de creche.

Neste domingo, no entanto, até quem acreditava nas ações midiáticas de Doria pôde ver o quanto ele não tem perfil para governar a maior e mais plural cidade do país, agindo de forma agressiva com aqueles e aquelas que criticam sua gestão.

Com a Paulista aberta às pessoas – e fechada aos automóveis – o Prefeito foi até o local e, além de entrar na área reservada para pedestres de carro, agiu de forma rude com ciclistas que pediam pela manutenção e ampliação dos quase 400 km de ciclovias existentes na cidade, em especial depois das notícias sobre o plano de Doria de retirar as vias segmentadas, o que causaria mais acidentes e mortes. Ao entrar no carro, recebeu de uma ciclista um ramo de flores “em nome dos mortos nas marginais” e, antes de avançar com o veículo, atirou as flores no chão.

Flagrado pelas câmeras da imprensa e dos cidadãos e cidadãs presentes na Avenida Paulista, prontamente Doria começou a ser criticado pelas redes sociais, tanto pela falta de trato com as críticas quanto pela agressividade da ação e, num gesto de ainda mais prepotência, respondeu via assessoria de comunicação da Prefeitura que agiu contra um “ato invasivo” e, mais tarde, atacou os ciclistas, os chamando de “egoístas”.

A atitude de João Doria é uma demonstração de sua capacidade de admitir as falhas em sua gestão, e de como há uma confusão de interesses, pois ele age na Prefeitura de São Paulo como se estivesse gerenciando uma de suas empresas privadas e como se ele fosse o dono da cidade e não eleito pelas pessoas.

Ainda, o Prefeito que começou sua gestão se vestindo de gari e fingindo limpar a cidade, arremessou as flores pela janela do carro e, além de sujar a cidade, esqueceu que, segundo o Código Nacional de Trânsito estabelece multa média de R$ 130 reais e quatro pontos na carteira para “quem atirar ou abandonar na via objeto e substâncias”.

*Alencar Santana Braga é deputado estadual e líder do PT na Alesp



No artigo

x