Sob Doria, acidentes nas marginais têm recorde e ambulantes continuam na pista

Uma das principais promessas de campanha do tucano João Doria à Prefeitura de São Paulo tem causado mais acidentes com vítimas.

282 0

Da Redação

Uma das principais promessas de campanha do tucano João Doria à Prefeitura de São Paulo tem causado mais acidentes com vítimas. Se não bastasse, vendedores ambulantes permanecem nas vias com o aumento na velocidade das marginais. Os números mostram que o programa da gestão chamado de “Marginal Segura” não tem dado os resultados prometidos.

Em março deste ano, os acidentes nas vias bateram recorde. Foram 143. O número é o mais alto desde que a PM começou a realizar estatísticas, em janeiro de 2015. Naquele mês foram 117 acidentes.

A redução das velocidades foi implantada por Fernando Haddad (PT) em julho de 2015. Após a medida, o número de acidentes caiu de 329 em 2015, para 234, em 2016.

Depois que Doria decidiu elevar os limites, em 25 de janeiro, só em 2017, já ocorreram 367.

Sobre as pessoas que permanecem nas vias, o jornal Folha de S. Paulo fez um levantamento nas duas últimas semanas nos 47 quilômetros das marginais. Os repórteres Artur Rodrigues e Mariana Zylberkan constataram o seguinte: “Continuam na Tietê e na Pinheiros os ambulantes que circulam entre os carros nos horários de pico e os moradores de rua que se instalam nos canteiros, assim como favelas que vão quase até a pista.”

Curioso é que uma campanha do governo estadual de Geraldo Alckmin (PSDB) alerta para os riscos de um pedestre adulto morrer: se atingido por um carro a menos de 50 km/h é de 20%. “Porém a chance de letalidade sobe para 60% se a pessoa for atropelada a 80 km/h.”

*Com informações da Folha de S. Paulo

Foto: Cesar Ogata/ Secom



No artigo

x