Reinaldo Azevedo diz que Moro é viciado em si mesmo

Para o colunista da Folha “Moro esmagou o devido processo legal com um desassombro inédito em tempos democráticos”. Da Redação*...

454 0

Para o colunista da Folha “Moro esmagou o devido processo legal com um desassombro inédito em tempos democráticos”.

Da Redação*

Nem Reinaldo Azevedo, um dos críticos mais desmedidos a Lula e seu governo, se convenceu com o desempenho do juiz Sérgio Moro, no propalado interrogatório. Em sua coluna na Folha desta sexta-feira (12), Azevedo desanca o juiz e promotores públicos: “Moro esmagou o devido processo legal com um desassombro inédito em tempos democráticos”.

De acordo com o colunista, “a maioria das perguntas que o juiz fez a Lula não guardava nenhuma relação com o objeto do processo, a saber: o recebimento de propina oriunda de três contratos da OAS com a Petrobras”.

Num escárnio típico dos que costuma usar contra os seus desafetos políticos, Azevedo diz que o juiz “resolveu fazer a versão oral do PowerPoint de Deltan Dallagnol.”  E vai mais longe, para fulminar com o óbvio: “O MPF não conseguiu produzir a prova de que Lula é o dono oculto do apartamento. Documentos de fé pública atestam que ele pertence à OAS. Carlos Fernando, um dos procuradores-estrela, lamentou nesta sexta que Lula não tenha produzido provas contra si”.

Chama o juiz de um sujeito viciado em si mesmo: “Moro não economizou nos solipsismos. Ah, visitem o “Dicionário de Hermenêutica”, de Lenio Luiz Streck. Com digressões oriundas do alemão, aprendemos que o “solepsista” é um “viciado em si mesmo”.

Ai fim e ao cabo, Reinaldo Azevedo antecipa o enredo da perseguição sem provas: “É evidente que Moro já condenou Lula, como evidenciaram algumas perguntas que ele repetia com indignação contida. Nesta quarta, ele antecipou o percurso, digamos, intelectual que vai seguir”.

E resume a ópera: “A síntese é esta: o MPF não conseguiu, de fato, a prova material de que o réu é dono do apartamento. Nada avançou nessa área desde aquele PowerPoint de 14 de setembro do ano passado. Então, vai-se ancorar a condenação no fato de que Lula, como presidente da República, respondia pela nomeação dos diretores da Petrobras que praticaram os atos criminosos”.

*Com informações da Folha

Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado



No artigo

x