“Nosso lema agora é ‘Fala, Eduardo Cunha’”, diz Paulo Teixeira

Para o deputado federal petista, Cunha pode “revelar os bastidores do golpe e como foram usados recursos de empresas para a compra de parlamentares para o impeachment”

273 0

Para o deputado federal, Cunha pode “revelar os bastidores do golpe e como foram usados recursos de empresas para a compra de parlamentares para o impeachment”

Da Redação

À Fórum, o deputado federal Paulo Teixeira (PT) disse que “está claro que o impeachment foi comprado”. Segundo ele, a divulgação de gravações de conversas de Joesley Batista com Temer, onde o presidente diz comprar o silêncio de Eduardo Cunha, mostram isso.

Teixeira afirmou que o objetivo de Cunha era chantagear Temer. Em troca do silêncio, o resultado foi a nomeação de Osmar Serraglio, uma mesada de 500 mil reais e ainda o presidente deveria fazer esforço para soltar Cunha nos tribunais superiores. “Temer aceitou toda a chantagem.”

O deputado federal considera que Michel Temer não renunciou porque vai usar o poder para tentar evitar sua prisão. “Ele faz o cálculo sobre a prisão dele depois de perder o poder”, comentou. O petista explicou que ela seria iminente.

Para Paulo Teixeira, o que está em disputa hoje é “a continuidade do golpe”. Em sua opinião, as eleições diretas seriam melhor para a sociedade, já que não há credibilidade para o Congresso Nacional escolher um novo presidente, no caso de eleições indiretas.

Carmem Lúcia, Nelson Jobim e Rodrigo Maia, de acordo com Teixeira, seriam os três possíveis candidatos em caso de eleições indiretas. “Cresce muito o envolvimento da sociedade para que haja eleições diretas”, destacou.

Sobre o anúncio da saída do PSDB do governo, ele considera “ser infeliz”. “Estão todos os ratos fugindo do barco. Mas o Brasil tem que entender que todos eles afundaram junto com o barco.”



No artigo

x