Marco Aurélio Mello diz “espero que seja mentira” ao saber de decreto de Temer

Temer dividiu o ônus de convocar o Exército com o presidente da Câmara e seu fiel escudeiro, o deputado carioca Rodrigo Maia, logo após uma multidão ocupar a Esplanada dos Ministérios contra o seu governo ilegítimo e as reformas que propõe.

510 0

Temer dividiu o ônus de convocar o Exército com o presidente da Câmara e seu fiel escudeiro, o deputado carioca Rodrigo Maia, logo após uma multidão ocupar a Esplanada dos Ministérios contra o seu governo ilegítimo e as reformas que propõe.

Da Redação

“Espero que seja mentira”. O espanto, que rápida e infelizmente se revelou como verdade, é do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, ao saber que Michel Temer havia convocado as Forças Armadas por uma semana, decretando estado de sítio na capital federal.

Temer dividiu o ônus de convocar o Exército com o presidente da Câmara e seu fiel escudeiro, o deputado carioca Rodrigo Maia, logo após uma multidão ocupar a Esplanada dos Ministérios contra o seu governo ilegítimo e as reformas que propõe.

Além de 92% da população brasileira, a Ordem dos Advogados do Brasil também considera Temer criminoso e pede seu impeachment – iniciativa que tem o apoio da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil.

 



No artigo

x