PT se manifesta sobre violência policial e decreto de Temer: “Remete aos anos de chumbo”

Em nota oficial assinada por Rui Falcão, presidente da legenda, o Partido dos Trabalhadores repudiou o decreto de Temer autorizando o uso das Forças Armadas para conter as manifestações em Brasília e reforçou sua...

295 0

Em nota oficial assinada por Rui Falcão, presidente da legenda, o Partido dos Trabalhadores repudiou o decreto de Temer autorizando o uso das Forças Armadas para conter as manifestações em Brasília e reforçou sua posição à favor de eleições diretas. Leia

Por Redação

O Partido dos Trabalhadores divulgou, no início da noite desta quarta-feira (24), uma nota oficial em que critica a violência policial utilizada pela Polícia Militar contra os manifestantes em Brasília e repudia o decreto expedido pelo Planalto autorizando o emprego das Forças Armadas para a garantia da lei e da ordem. No ato de movimentos sociais e trabalhadores contra o governo de Michel Temer e suas reformas, dezenas de manifestantes ficaram feridos por conta da repressão policial. Um homem foi alvejado com um disparo de arma de fogo.

Na nota, assinada por Rui Falcão, presidente da legenda, o PT compara a ação do governo na tarde desta quarta-feira com as medidas adotadas na ditadura militar.

“Como se não fosse suficiente, Michel Temer ainda convocou as Forças Armadas para saírem às ruas, numa medida desnecessária e desmedida, e que nos remete a retrocessos típicos dos anos de chumbo da ditadura militar”, diz o texto do PT, que ainda reforçou seu posicionamento à favor de eleições diretas.

Confira abaixo a íntegra da nota.

O governo golpista e ilegítimo de Michel Temer descortinou hoje sua face mais autoritária e antidemocrática.

Patrocinou um ataque violento contra manifestantes que se reuniram pacificamente, em Brasília, contra a diminuição de direitos previdenciários e trabalhistas e em defesa da realização de eleições diretas no País. A demonstração de força foi totalmente injustificada e covarde.

Como se não fosse suficiente, Michel Temer ainda convocou as Forças Armadas para saírem às ruas, numa medida desnecessária e desmedida, e que nos remete a retrocessos típicos dos anos de chumbo da ditadura militar.

O dia de hoje sacramentou o fim do governo ilegítimo do golpista Michel Temer. Não há mais condições moral e política para que esse usurpador permaneça no Poder em Brasília.

Os brasileiros têm o direito de escolher um novo presidente nas urnas.

Por isso, o Partido dos Trabalhadores reafirma sua posição contrária às reformas antipopulares e em favor da convocação de eleições diretas já.

Rui Falcão, presidente nacional do PT

Brasília (DF), 24 de maio de 2017

 



No artigo

x