Senador afastado Aécio Neves entrega passaporte e é notificado a responder pedido de prisão

O tucano é investigado no STF por corrupução passiva, obstrução da justiça e organização criminosa. Ele agora não poderá sair do país e nem ter contato com nenhum outro investigado pela Justiça, e deve...

738 0

O tucano é investigado no STF por corrupução passiva, obstrução da justiça e organização criminosa. Ele agora não poderá sair do país e nem ter contato com nenhum outro investigado pela Justiça, e deve rebater ao STF, por escrito, o pedido de prisão da PGR

Por Redação

O senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) entregou ao Supremo Tribunal Federal (STF), nesta quarta-feira (24), seu passaporte. O tucano atendeu à uma exigência do ministro Luiz Edson Fachin que, na semana passada, autorizou a abertura de inquérito contra o senador, o afastou de suas funções parlamentares e pediu o documento.

Aécio, que agora é alvo de 6 inquéritos no Supremo – os outros 5 são pela Lava Jato – não poderá sair do país e nem ter contato com qualquer outro investigado. Neste processo, o ex-governador de Minas Gerais é investigado por corrupção passiva, tentativa de obstrução da justiça e organização criminosa. O pedido de prisão de de abertura de inquérito partiu da Procuradoria-Geral da República com base na delação dos donos da JBS. Um dos donos da empresa, Joesley Batista, gravou uma conversa em que o tucano pede R$2 milhões que, para a PGR, seria propina.

Já o tucano argumenta que o dinheiro seria um empréstimo para pagar suas despesas com a defesa na Lava Jato. Sua irmã, Andrea Neves, e seu primo, Frederico Pacheco, estão presos. Pelas delações, ambos eram intermediadores de Aécio nos repasses de propina.

Além da entrega do passaporte, Fachin, que havia recusado o pedido de prisão da PGR, determinou que a defesa de Aécio se manifeste sobre o pedido de prisão. Após a recusa do ministro do STF, a PGR entrou com recurso e, agora, o tucano terá que rebater o pedido por escrito ao Supremo.

 



No artigo

x