Como Diria Macalé – “Ih, Nojento, tchan!”

Quem diria que Tião Macalé voltasse à cena midiática por conta de um jornalista da Veja? Pois é, mas foi isso que aconteceu. O nome de Tião, responsável pelo sucesso do bordão “Ih, Nojento,...

426 0

Quem diria que Tião Macalé voltasse à cena midiática por conta de um jornalista da Veja? Pois é, mas foi isso que aconteceu. O nome de Tião, responsável pelo sucesso do bordão “Ih, Nojento, tchan!”, ganhou espaço nas redes sociais após a divulgação dos áudios vazados, em que o jornalista da Revista Veja, Reinaldo Azevedo, responde a uma das perguntas de Andrea Neves, irmã de Aécio Neves, com a seguinte frase: “Ah, eu vi. É nojento, nojento. Eu vi.”

Por Álvaro Maciel*

Quem diria que Tião Macalé voltasse à cena midiática por conta de um jornalista da Veja? Pois é, mas foi isso que aconteceu. O nome de Tião, responsável pelo sucesso do bordão “Ih, Nojento, tchan!”, ganhou espaço nas redes sociais após a divulgação dos áudios vazados, em que o jornalista da Revista Veja, Reinaldo Azevedo, responde a uma das perguntas de Andrea Neves, irmã de Aécio Neves, com a seguinte frase: “Ah, eu vi. É nojento, nojento. Eu vi.” Foi o plá para disparar diversas piadas que se multiplicaram nas redes sociais, a partir de terça feira, 23.

Carioca e irreverente, Augusto Temístocles da Silva Costa, que faleceu há quase 24 anos, era o Tião Macalé, famoso e caricato personagem de Os Trapalhões, programa humorístico, onde contracenava com Didi, Dedé, Mussum e Zacarias. Seu jeitão exótico e sua frase “Ih, Nojento, tchan!” lhe renderam também espaço em comerciais na TV, expandiram sua fama.

Reinaldo Azevedo repetiu o “nojento”, tão usado por Tião em seu jargão, ao se referir ao conteúdo de uma reportagem de capa sobre o senador Aécio Neves, num telefonema entre ele e a irmã do senador. Assim que soube do vazamento o jornalista se demitiu.

As conversas dos irmãos Neves foram gravadas em grampo telefônico pela Polícia Federal, com autorização da Justiça. A PGR anexou o material aos áudios do inquérito que investiga o senador e a irmã. Até aí tudo normal para os normais.

Já a gravação das conversas entre Andréa e Reinaldo, que também foram anexadas ao inquérito, não se sabe como, vazaram. Fato este que está gerando muito burburinho nas redes, pois, os mesmos que aplaudiram os vazamentos das conversas entre Lula e Dilma agora criticam o grampo em questão.

Alegam esses internautas defensores da nova ordem pública, que uma conversa privada entre um jornalista como Reinaldo, não investigado, e uma pessoa que sofre investigação não é legal. Aí Tião, essa merece um “ih, Nogentos, tcham!”. E gravar e vazar conversas entre uma presidente e um ex-presidente será que é legal para essa galera?

Confira abaixo o trecho onde está o “Ah, eu vi. É nojento, nojento. Eu vi.”

Andrea Neves – Agora, que está acontecendo na Veja, o que o pessoal fez…

Reinaldo Azevedo – Ah, eu vi. É nojento, nojento. Eu vi.

Andrea Neves – Assinaram todos os jornalistas e vão pegar a loucura desse cara para esquentar a maluquice contra mim.

Reinaldo Azevedo – Tanto é que logo no primeiro parágrafo, a Veja publicou no começo de abril que não sei o que, na conta de Andrea Neves. Como se o depoimento do cara endossasse isso. E ele não fala isso.

Andrea Neves – Como se agora tivesse uma coleção de contas lá fora e a minha é uma delas.

Reinaldo Azevedo – Eu vou ter de entrar nessa história porque já haviam me enchido o saco. Vou entrar evidentemente com o meu texto e não com o deles. Pergunto: essas questões que você levantou para mim, posso colocar como se fosse resposta do Aécio?

Andrea Neves – Nós mandamos agora para a Veja uma nota para botar nessa matéria.

Reinaldo Azevedo – Não quer mandar para mim também?

Andrea Neves – Mando.



No artigo

x