Golpe gera 216 mil desempregados por mês

Em um ano, 1,2 milhão perdeu o registro. Como diz o próprio IBGE na apresentação dos resultados, esse é o menor “contingente de trabalhadores de carteira assinada desde o início da pesquisa, em 2012”.

248 0

Em um ano, 1,2 milhão perdeu o registro. Como diz o próprio IBGE na apresentação dos resultados, esse é o menor “contingente de trabalhadores de carteira assinada desde o início da pesquisa, em 2012”.

Da Redação

O IBGE divulgou hoje que no trimestre fevereiro-abril deste ano o país chegou a 14 milhões de desempregados, taxa de 13,6%, a maior para um trimestre terminado neste mês desde o início da pesquisa PNAD, em 2012.

A comparação com o período de um ano, que corresponde ao afastamento da presidente Dilma Rouseff pelo Senado, mostra que a cada mês 216,6 mil novas pessoas procuraram emprego e não encontraram. Em abril de 2016, eram 11,4 milhões de desempregados.

O número de pessoas com carteira assinada também mostra o preço do golpe para os trabalhadores. Em um ano, 1,2 milhão perdeu o registro. Hoje são 33,3 milhões de pessoas formalizadas. Como diz o próprio IBGE na apresentação dos resultados, esse é o menor “contingente de trabalhadores de carteira assinada desde o início da pesquisa, em 2012”.

É bom lembrar que a queda no número de pessoas com carteira assinada impacta diretamente a arrecadação do sistema previdenciário.

Foto: Imagem de Arquivo/Agência Brasil



No artigo

x