Datafolha: Maioria dos paulistanos aprova internação à força na cracolândia

Pesquisa mostra que quatro em cada cinco moradores da capital paulista vê a questão do crack como caso de polícia

352 1

Pesquisa mostra que quatro em cada cinco moradores da capital paulista vê a questão do crack como caso de polícia

Da Redação

Quatro em cada cinco moradores da cidade de São Paulo (80%) são a favor de internações à força de usuários de crack. E a maioria (59%) aprova a ação do prefeito João Doria que, ao contrário de seu antecessor Fernando Haddad, tem colocado a polícia para lidar com os dependentes. Os dados são de pesquisa Datafolha, divulgada neste sábado (3).

O levantamento ouviu 1.125 pessoas e foi realizado na última quinta-feira (1º), 11 dias após a ação policial iniciada pelo governador Geraldo Alckmin e Doria. A medida fez com que os dependentes migrassem para outras cracolândias na região central.

Nos dias seguintes à ação policial, foram localizados 23 pontos com dependentes químicos apenas na região central.

Como parte da ação, imóveis foram demolidos, como pensões e hotéis, na região da cracolândia. A primeira demolição, no entanto, deixou três pessoas feridas, e a prática acabou vetada pela Justiça. Mesmo assim de forma geral, a iniciativa é aprovada por 55% e rejeitada por 41%.

Doria colocou fim ao programa Braços Abertos, que havia sido iniciado por Haddad. Criado em 2014, o programa chegou a ser elogiado pela ONU e atuava no resgate social dos dependentes.

Leia também: 

Psicanalistas vão às ruas em conversa-ato contra ações de Doria na Cracolândia

Doria flerta com o fascismo

Foto: Rovena Rosa / Agência Brasil



No artigo

1 comment

  1. Carlos Henrique Responder

    Desde que não sejam das famílias dos entrevistados…me impressiona como o paulistano usa antolhos…ninguém se cura do vício, qualquer que seja ele, sem que o próprio viciado queira.


x