Desembargador manda Sérgio Moro refazer audiência por cercear defesa de Lula

Advogados foram informados na manhã sobre mídias juntadas pela acusação para audiência às 14h. Pediram adiamento, Sérgio Moro recusou. Tribunal deu razão à defesa de Lula Por Redação             Foto: Lula...

600 0

Advogados foram informados na manhã sobre mídias juntadas pela acusação para audiência às 14h. Pediram adiamento, Sérgio Moro recusou. Tribunal deu razão à defesa de Lula

Por Redação             Foto: Lula Marques / AGPT

Decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) deu razão à defesa de Lula por considerar que houve cerceamento da defesa nos depoimentos de Emílio Odebrecht e do ex-executivo da empreiteira Alexandrino Alencar, que ocorreram ontem, dia 5, em Curitiba.

A defesa foi informada na parte da manhã que a acusação juntara mídias com a delação premiada dos dois depoentes para a audiência que ocorreria às 14h. Pediram a Moro que adiasse a sessão para dar tempo de a defesa conhecer os documentos e se preparar para o depoimento. Moro recusou.

Os advogados de Lula entraram então com pedido de habeas corpus no TRF 4. Na decisão, o desembargador João Pedro Gebran Neto primeiro explicou por que não tomou a decisão antes das 14h e adiou os depoimentos, alegando que o processo só foi distribuído para ele às 13h22. Porém manda que seja “repetido o ato (depoimentos) após as defesas tomarem conhecimento do conteúdo integral das mídias anexadas”. E fixa o prazo de três dias para que a defesa tome conhecimento do que foi anexado e os depoimentos ocorram novamente.

É bom lembrar que até este momento, praticamente todas as decisões do juiz Sérgio Moro vinham sendo aceitas pelo TRF4. O desembargador que concedeu a liminar já foi acusado de ser padrinho do filho de Moro, o que desmentiu, mas admitiu ter amizade com o juiz de Curitiba.



No artigo

x