Temer agora tem o ombro amigo de Roberto Jefferson para se consolar

"Eu vim encostar o ombro com ele. Amigo tem de ser em todos os momentos, na alegria e na tristeza. Nós viemos encostar o ombro com ele e dizer que nós estamos juntos", disse.

228 0

“Eu vim encostar o ombro com ele. Amigo tem de ser em todos os momentos, na alegria e na tristeza. Nós viemos encostar o ombro com ele e dizer que nós estamos juntos”, disse.

Da Redação*

O presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, grande pivô, delator e condenado da crise de 2005, correu para afagar, dar o ombro e chamar de “amigo” o presidente Michel Temer nesta quarta-feira (7).

Na saída de reunião com o peemedebista, ele afirmou que as acusações contra o presidente são “absolutamente injustas” e que seu partido se posicionará contra uma eventual denúncia apresentada pela PGR (Procuradoria-Geral da República).

“Eu vim encostar o ombro com ele. Amigo tem de ser em todos os momentos, na alegria e na tristeza. Nós viemos encostar o ombro com ele e dizer que nós estamos juntos”, disse.

O encontro é o quarto de Jefferson com Temer no Palácio do Planalto apenas neste ano. A reunião desta quarta-feira (7) teve também as presenças de deputados e senadores da legenda.

O petebista considerou que seria “inoportuno” o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) cassar o mandato do peemedebista. Segundo ele, causaria uma “crise gravíssima”, que jogaria o país no passado.

“Ele é acusado nessa hora de maneira muito grave e entendemos que de maneira muito injusta, muito açodada. E dizemos que apoiamos institucionalmente ele, que está sendo castigado”, afirmou.

Ele disse ainda ter certeza que uma denúncia contra o peemedebista “será barrada” e que o partido, que reúne uma bancada de 17 deputados federais, votará pela sua recusa caso seja apresentada.

*Com informações da Folha

Foto Marcello Casal Jr./ABr



No artigo

x