De acordo com a PF, não há adulteração na gravação de Temer com Joesley Batista

A tentativa de desqualificar a gravação é mais uma das estratégias da defesa de Michel Temer que cai por terra.

482 0

A tentativa de desqualificar a gravação é mais uma das estratégias da defesa de Michel Temer que cai por terra.

Da Redação*

A coluna de Ricardo Noblat antecipa que, de acordo com a perícia da Polícia Federal, “não há sinais de adulteração na gravação da conversa entre o presidente Michel Temer e o empresário Joesley Batista, dono do Grupo JBS”.

A tentativa de desqualificar a gravação é mais uma das estratégias da defesa de Michel Temer que cai por terra.

Joesley Batista entregou à Procuradoria Geral da República gravação de conversa com Temer onde combina pagamento de propina para comprar o silêncio de Eduardo Cunha. Temer, de acordo com os irmãos, teria indicado o deputado Rodrigo Rocha Loures para resolver um assunto da J&F (uma holding que controla a JBS) e, posteriormente, o deputado teria sido filmado recebendo uma mala com R$500 mil enviados por Joesley.

Os irmãos também gravaram Aécio Neves. De acordo eles, o tucano foi gravado pedindo R$ 2 milhões a Joesley e o dinheiro foi entregue a um primo de Aécio. A cena teria sido devidamente filmada pela Polícia Federal.

*Com informações da coluna de Ricardo Noblat

Foto: Beto Barata/PR

 



No artigo