Washington Quaquá: A UNE sai à Frente!

“A União Nacional dos Estudantes acaba de realizar neste fim de semana (de 14 a 18 de junho) seu 55° Congresso. Um grande congresso com ampla participação dos estudantes. 15 mil jovens de todos...

356 0

“A União Nacional dos Estudantes acaba de realizar neste fim de semana (de 14 a 18 de junho) seu 55° Congresso. Um grande congresso com ampla participação dos estudantes. 15 mil jovens de todos os estados do país. Um verdadeiro caldeirão de luta e de formação militante e política da juventude brasileira”. Leia mais no artigo de Washington Quaquá, ex-prefeito de Maricá 

Por Washington Quaquá*

A União Nacional dos Estudantes acaba de realizar neste fim de semana (de 14 a 18 de junho) seu 55° Congresso. Um grande congresso com ampla participação dos estudantes. 15 mil jovens de todos os estados do país. Um verdadeiro caldeirão de luta e de formação militante e política da juventude brasileira.

Mas o mais impressionante é que esta nova geração que está se formando na luta, na resistência ao golpe e a ofensiva neoliberal e antidemocrática, e que é uma pós geração da esquerda burocratizada pela participação nos governos populares, não só mostra que a esquerda demonstrou uma imensa capacidade de desburocratização e de reinvenção, mas também no ConUNE a juventude deu uma lição para toda a esquerda e para todos os movimentos sociais brasileiros.

A chapa “Frente Brasil Popular” liderada pela UJS (PCdoB), com a participação de quase a totalidade da JPT (da juventude petista só a Articulação de Esquerda não participou), Levante Popular da Juventude, PDT e até a JPSB obteve 79% dos votos.

A primeira lição é de que a esquerda que muda o Brasil e a vida do povo, enraizada nas suas lutas e no seu dia a dia. Aquela que defende o legado do Lulismo e dos três governos e quatro vitórias nacionais das forças populares e democráticas constitui a ampla maioria das forças vivas e militantes do povo brasileiro. A esquerda classe média, doutrinária, auto-proclamatória, auto-centrada, pasteurizada, perfumada e penteada não chegou a 15% do Congresso.

A segunda e maior lição de todas os jovens deram a toda a esquerda e a todos os movimentos populares brasileiros, foi a unidade em torno de uma chapa amplamente majoritária com nome da Frente Brasil Popular. A construção de uma Frente Popular é uma necessidade no Brasil. Uma necessidade para se dar respostas organizativas, políticas e culturais aos desafios da luta de classes neste período histórico. A unidade no ConUNE apontou este caminho.

Não significa que os partidos ou movimentos tem que abrir mão de sua história, de seus símbolos e de sua organização. Mas precisam construir na pratica e na luta concreta a unidade mínimo-programática e de ação. Os uruguaios podem ser bom exemplo pra nós! E a juventude no Congresso da UNE nos abriu um caminho.

Além das bandeiras políticas táticas e estratégicas: Fora Temer e Greve Geral, de um lado; e lutar pelas reformas estruturais, de outro. A UNE mostra que está a altura de seu tempo e dá uma lição de unidade ao Brasil. Que se construa na luta a Frente Popular Brasileira!

*Washington Quaquá é presidente do PT/RJ e ex-prefeito de Maricá (RJ) por 2 mandatos

Foto: UNE



No artigo

x