Vereadores de Curitiba fogem da Câmara pra votar contra servidores

Sessão da câmara municipal foi transferida para Ópera de Arame, cercada desde a madrugada por centenas de policiais para impedir manifestações de servidores contrários à aprovação do “pacotaço” do prefeito Greca   ...

130 0

Sessão da câmara municipal foi transferida para Ópera de Arame, cercada desde a madrugada por centenas de policiais para impedir manifestações de servidores contrários à aprovação do “pacotaço” do prefeito Greca 

 

Por Redação   Foto: Reprodução vídeo Brasil de Fato-PR

 

Em Curitiba, a Ópera de Arame, casa de show afastada do centro da cidade, amanheceu cercada por centenas de policiais da tropa de choque e outras unidades de elite da PM para evitar protestos de servidores municipais contrários ao Pacotaço do Greca, medidas que o prefeito enviou à Câmara e que corta direitos dos trabalhadores. Há relatos de servidores feridos por policiais nesta manhã.

Depois de tentarem por três semanas aprovar o pacote, a base aliada do prefeito resolveu fugir da câmara municipal e fazer a votação na pedreira, local isolado e que dificulta o acesso de manifestantes. Há relatos de que alguns vereadores teriam chegado escoltados pela polícia ou até mesmo dentro de camburões.

Com essa estratégia de guerra, conseguiram nesta manhã aprovar o projeto que autoriza saque de quase R$ 700 milhões do Instituto de Previdência dos servidores.  Outras medidas serão analisadas ainda entre hoje e amanhã.

 

Entenda o pacotaço do prefeito Greca — São no total doze medidas que visam cortar custos em cima dos servidores municipais e da população mais pobre, sem mexer em privilégios de empresários. Entre elas estão pegar recursos do fundo de previdência dos servidores e incentivar a adesão fundos de previdência privados, suspender planos de carreira aprovados na gestão anterior, diminuir gastos com pessoal e criar taxa de coleta de lixo e desvinculá-la do IPTU.



No artigo

x