CONFIRMADO: PM mata jovem com 5 tiros na Favela do Moinho

A mãe de Leandro de Souza Santos, de 19 anos, reconheceu, junto com o vereador Eduardo Suplicy (PT-SP), o corpo do garoto no necrotério da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Jovem, que...

290 0

A mãe de Leandro de Souza Santos, de 19 anos, reconheceu, junto com o vereador Eduardo Suplicy (PT-SP), o corpo do garoto no necrotério da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Jovem, que era usuário de drogas, já deu entrada morto no hospital após ser alvejado com 5 tiros disparado por policiais durante uma operação na Favela do Moinho. PM diz que ele estava armado, mas mãe refuta: “Meu filho não conseguiria nem matar uma mosca”

Por Redação 

Fórum adiantou, mais cedo, que um menino identificado como Leandro teria sido assassinado pela Polícia Militar, de acordo com relatos de moradores, em uma operação na manhã desta terça-feira (27) na Favela do Moinho, região central de São Paulo. Agora há pouco veio a confirmação: Leandro de Souza Santos, de 19 anos, foi assassinado com 5 tiros, um deles no peito, e já deu entrada sem vida, por volta das 11h, na Santa Casa de Misericórdia.

À princípio, o hospital não deu informações sobre o estado de saúde do jovem à sua mãe. No final desta tarde, no entanto, o vereador Eduardo Suplicy (PT-SP) intercedeu e, junto com a mãe, reconheceram o corpo do jovem no necrotério do hospital. Boletim médico divulgado pela Santa Casa há poucas horas informa: “O paciente Leandro de Souza Santos deu entrada no pronto-socorro da Santa Casa de São Paulo, inicialmente sem identificação. Foi trazido pelo pré-hospitalar que relatou que desde o início do atendimento que o paciente estava sem sinais vitais. Na entrada do pronto-socorro foi constatado o óbito.”

De acordo com Julian Rodrigues, colunista da Fórum que estava no local no momento da operação, que tinha por objetivo prender traficantes da região da cracolândia, o comandante da ação disse que o menino havia sido alvejado em uma troca de tiros e que portava um revólver calibre 38, que até agora não foi apresentado.

A mãe do jovem, em entrevista ao Jornalistas Livres, no entanto, refutou. De acordo com ela, o menino não tinha passagem pela polícia, nunca foi preso e seu único problema era ser usuário de drogas. “Meu filho não conseguiria nem matar uma mosca. É mentira”, afirmou.

Procurada pela Fórum, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, responsável pela Polícia Militar, ainda não se manifestou sobre o assunto.

Confira, abaixo, o depoimento da mãe do garoto e do vereador Eduardo Suplicy sobre o caso.

Foto: Reprodução/Acervo Pessoal



No artigo

x