Temer: “Tenho orgulho de ser presidente. Não sei como Deus me colocou aqui”

Em pronunciamento, presidente denunciado por corrupção passiva negou as acusações, pediu “provas concretas”, atacou o empresário Joesley Batista, disse que foi vítima de “uma nova categoria da Justiça”, a denúncia por “ilação” e ainda...

404 0

Em pronunciamento, presidente denunciado por corrupção passiva negou as acusações, pediu “provas concretas”, atacou o empresário Joesley Batista, disse que foi vítima de “uma nova categoria da Justiça”, a denúncia por “ilação” e ainda chamou a denúncia apresentada pela PGR de “ficção”. Assista a íntegra 

Por Redação 

Em pronunciamento no Palácio do Planalto, acompanhado de ministros e parlamentares, na tarde desta terça-feira (27), o presidente Michel Temer tentou se defender da denúncia por corrupção passiva da Procuradoria-Geral da República (PGR) enviada nesta segunda-feira (26) ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Em sua declaração, Temer negou a denúncia da PGR de que tenha praticado corrupção em um esquema de pagamento de propina com Joesley Batista, dono da JBS, e atacou o empresário.

“No caso do senhor grampeador, o desespero de se safar da cadeia moveu a ele e seus capangas para, na sequência, haver homologação de uma delação e distribuir o lema da impunidade”, afirmou o peemedebista. A denúncia do procurador-geral da República tem como base a delação de Joesley Batista e a gravação de uma conversa entre o empresário e Temer em sua residência, em que Temer diz para Joesley que “tem que manter isso”. A fala seria uma referência ao esquema com o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures, preso depois de se revelar que transportou uma mala com R$500 mil, que seria propina destinada a Temer.

Leia a íntegra da denúncia de Janot contra Temer

De acordo com Michel Temer, ele seria vítima do que considera uma nova categoria da Justiça no Brasil: a denúncia por “ilação”. “Percebo que reinventaram o Código Penal e incluíram uma nova categoria: a denúncia por ilação. Abriu-se um precedente perigosíssimo em nosso Direito”, afirmou, classificando ainda a denúncia de Janot como “ficção”.

Ao final de sua fala, depois de pedir “provas concretas”, atacar ainda mais Joesley e a denúncia de Rodrigo Janot, Temer defendeu seu governo e as reformas que vem capitaneando e ainda disparou: “Tenho orgulho de ser presidente. Não sei como Deus me colocou aqui”.

Assista a íntegra de seu pronunciamento:



No artigo

x