Denúncia contra Temer vai pra Câmara, onde base de apoio tentará barrar processo

Por ser presidente em exercício, processo contra Temer precisa ser autorizado por 342 dos 513 deputados federais. Defesa quer acelerar processo antes que base de apoio se desmanche  ...

214 0

Por ser presidente em exercício, processo contra Temer precisa ser autorizado por 342 dos 513 deputados federais. Defesa quer acelerar processo antes que base de apoio se desmanche

 

Por Redação      Foto: Beto Barata/PR

 

O Supremo Tribunal Federal enviará a denúncia de corrupção contra o presidente Temer para que seja analisada pela Câmara dos Deputados. O processo no STF só pode ser aberto se for autorizado por 342 dos 513 deputados. E a defesa do presidente tenta acelerar esse processo para que a votação ocorra antes de novas denúncias que possam minar sua base de apoio no Congresso.

Por isso abriu mão de apresentar defesa no STF nesta fase. E o relator do processo, o ministro Fachin, resolveu enviar a denúncia diretamente para a Câmara. Para ele, a defesa política terá de ocorrer no Legislativo e a defesa técnico-judicial, pelo advogados, só ocorrerá se a Câmara autorizar o inquérito e o STF aceitar a denúncia.

Assim que a presidente do Supremo, Carmen Lúcia, enviar a acusação para a Câmara, ela será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça. O relatório da CCJ vai ao plenário, onde haverá a votação final dos deputados. Caso a denúncia seja aprovada e o inquérito aberto pelo STF, Temer será afastado por 180 dias. O governo calcula que tem votos suficientes para barrar a denúncia na Câmara, em que conta com a boa vontade de seu presidente, o deputado Rodrigo Maia.



No artigo

x