Cidade Linda de Doria está toda suja e esburacada

Reportagem do G1 percorreu vários locais e constatou que velhos problemas, como lixo, buracos, mato alto entre outros.

219 0

Reportagem do G1 percorreu vários locais e constatou que velhos problemas, como lixo, buracos, mato alto entre outros.

Da Redação*

Apenas seis meses depois de seu início, com grande marketing de lançamento, o programa Cidade Linda, do prefeito João Doria, já vê lixo, mato alto e buracos, aparecerem novamente. A criação do programa foi a primeira medida do prefeito João Doria (PSDB), que se vestiu de gari no dia 2 de janeiro – um dia após a posse – para limpar a Avenida Nove de Julho. Ele prometeu varrer a cidade pessoalmente toda semana.

Desde então, ele e o vice-prefeito participaram de 21 ações, que acontecem normalmente aos sábados pela manhã. A maioria (11) foi no Centro expandido, e apenas seis em bairros mais extremos das periferias. A reportagem do G1 visitou algumas das vias que receberam a ação até o começo de abril e constatou que parte dos velhos problemas voltaram.

Na Praça 14 Bis, na região central, onde o programa começou, as árvores e o canteiro estavam aparados nesta quinta-feira (29). Quem frequenta o local, porém, precisa andar olhando para o chão para não tropeçar. A calçada tem buracos que oferecem risco ao pedestre, sendo que um deles é um acesso aberto à tubulação subterrânea da praça, com mais de 10 centímetros de profundidade.

A Prefeitura Regional Sé afirma, em nota, que “o serviço de tapa-buraco no entorno da Praça 14 Bis será programado para os próximos dias. Com relação às calçadas, a manutenção é de responsabilidade dos proprietários dos imóveis”.

As principais queixas na região, porém, vêm de moradores de rua que foram instalados em uma quadra esportiva ao lado da Praça 14 Bis. O espaço foi fechado com uma lona verde, que já está cinza, em razão da poluição. Emerson Aguiar afirma a mudança para o local acabou funcionando como uma “maquiagem”. “Fizeram isso pra esconder. O que precisamos é de moradia. Não dá para ficar aqui porque são péssimas as condições de vida e de higiene”, conta.

Em nota, a Prefeitura afirma, citando a Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, que “21 pessoas que viviam em situação de rua na região da Praça 14 Bis foram encaminhadas para retorno familiar, cidades de origem, Centros de Acolhida, Autonomia em Foco, Família em Foco e Centro Temporário de Acolhimento”.

Ainda segundo o comunicado, “o Serviço Especializado de Abordagem Social (SEAS) da Bela Vista acompanha atualmente 55 pessoas em situação de rua na região da 14 Bis. Diariamente, as equipes de abordagem tentam convencê-las a deixar as ruas e aceitar encaminhamento para centros de acolhida e também para oportunidades de trabalho. Cabe ressaltar que, apesar de as operações acontecerem diuturnamente, a adesão a tratamento ou acolhimento é facultativa”.

Perto dali, o G1 encontrou o local com melhor manutenção entre os seis espaços visitados. A Avenida Paulista, área nobre da cidade, tem canteiros aparados, árvores podadas e calçadas em boas condições, com as guias pintadas, no trecho visitado pelo prefeito, em janeiro.

Sujeira

A situação é bem diferente da encontrada no Grajaú, na Zona Sul, um dos pontos mais extremos da cidade visitados por Doria. O prefeito cortou a grama de uma praça na Avenida Dona Belmira Marin em fevereiro, mas o espaço já tem grama alta novamente e canteiros estavam repletos de lixo e entulho. Ao lado da praça, a calçada virou ponto de descarte de restos de obras.

A comerciante Nair Onório da Silva afirma que a praça tem estado de abandono e que a presença do prefeito não mobilizou a população a cuidar mais da praça. “Não adiantou muito o prefeito vir limpar. Ela fica abandonada. E a situação seria outra também se a população fosse mais educada”, diz.

Em nota, a “Prefeitura Regional Capela do Socorro informa que os serviços de varrição na Avenida Belmira Marin são realizados diariamente”. “O cruzamento da Rua Olavo Conceição de Senne com a Belmira Marin é considerado um ponto viciado de descarte de lixo O local é limpo quinzenalmente. Sobre o mato alto relatado, a jardinagem entrará na programação de atividades da regional.”

O mato alto e sujeira se repetem na Praça Dr. Werther Maynard Krause, na Avenida Santo Amaro, em Moema.

Em comunicado, a “Prefeitura Regional da Vila Mariana informa que o serviço de jardinagem e zeladoria da praça Dr. Werther Maynard Krause entrará na programação de atividades para os próximos dias”.

Em outro ponto da Santo Amaro, perto da Avenida Roque Petroni Júnior, há buracos na calçada e no asfalto, sendo que um deles, no corredor de ônibus, aparenta ser em trecho recém- recapeado.

Os pedestres enfrentam ainda outro obstáculo – um cone tampa um buraco na calçada em frente à futura à obra da Estação Brooklin do Metrô – a empresa afirma que solicitou à Eletropaulo a mudança de um poste de energia e que o local receberá uma praça.

Em nota, a “Prefeitura Regional de Pinheiros encaminhará nos próximos dias uma equipe de fiscalização para avaliar a situação referente à calçada da Avenida Santo Amaro. Também serão vistoriadas as propagandas no ponto de ônibus”.

Apesar do lixo encontrado em vários dos pontos visitados pelo Cidade Linda, um dos pontos positivos do programa foi a presença de lixeiras em boas condições em todos os locais visitados pelo G1. Entre eles, a Praça Julio Dellaquila, na Vila Sônia, Zona Oeste, que oferece boas condições de uso e é elogiada por frequentadores. “Melhorou. Antes era muito perigoso”, diz a assistente administrativa Katia Cirqueira.

Em nota, “a Prefeitura Regional Butantã informa que o corte do mato na praça Júlio Dellaquila está previsto para ser realizado até a próxima quarta-feira (5)”.

Moradores de rua

Um dos endereços que receberam o programa Cidade Linda virou reduto de moradores de rua. O prefeito foi à Praça Bento de Camargo Barros, no Bom Retiro, e levou cerca de uma hora para cortar um trecho grande de grama. O novo “tapete” recebeu quatro barracas de moradores de rua que antes ficam embaixo de um viaduto ao lado da praça, que dá acesso à Ponte das Bandeiras.

O que a Prefeitura diz

A Prefeitura de São Paulo afirmou que “o SP Cidade Linda é uma operação contínua e que se estenderá durante os quatro anos do mandato, se irradiando do centro para a periferia”.

“Até o dia 17 de junho foram realizadas 25 edições do Cidade Linda. Nas ações foram recolhidas 665,4 toneladas de lixo, feitas 5735 podas e remoções de árvores, 4.478 limpezas de bocas de lobo e de 478 bocas de leão. Foram usados 12.359 quilos de cal, implantadas 672 lixeiras com material galvanizado, feita a limpeza de 2.206 metros de galerias e, ainda, a pintura de 13.357 metros de pichações”, acrescentou a nota.

“Foram envolvidas 16.530 pessoas 2.549 equipamentos. A Prefeitura ressalta que os trabalhos iniciados nas edições anteriores continuam em algumas avenidas, como as Marginais”, afirmou.

*Com informações do G1

Foto: Prefeitura



No artigo

x