Gerente para cliente que queria trocar a fralda do filho: “Mas cadê a mãe dele?”

“Disse a ele que eu era o pai da criança e que aonde a mãe estava não vinha ao caso. No que ele respondeu: ‘Isto aqui é um clube militar, não tem dessas coisas (trocador)’.

263 0

“Disse a ele que eu era o pai da criança e que aonde a mãe estava não vinha ao caso. No que ele respondeu: ‘Isto aqui é um clube militar, não tem dessas coisas (trocador)’.

Da Redação*

A coluna Gente Boa, do Globo, informa que dois amigos almoçavam com o filho pequeno de um deles no restaurante do Círculo Militar da Praia Vermelha, no Rio de Janeiro, no sábado, e precisou trocar a fralda do bebê. Foi ao banheiro masculino, que não tem trocador, e tentou resolver o problema na pia. O gerente então lhe chamou a atenção. “Não é lugar para isso”, disse ele, acrescentando que o banheiro feminino dispõe de um fraldário. “Mas cadê a mãe dele?”, quis saber o funcionário.

Leia o relato do pai: “Disse a ele que eu era o pai da criança e que aonde a mãe estava não vinha ao caso. No que ele respondeu: ‘Isto aqui é um clube militar, não tem dessas coisas’. Que pena, pensei. Ao fim, consegui usar o banheiro feminino com funcionários fazendo a escolta da porta. Isso deixa claro como o machismo prejudica não só as mulheres, mas os homens também.”

*Com informações da coluna Gente Boa, do Globo

Foto: Reprodução



No artigo

x