Agressão de Doria a repórter da Folha é descabida, diz sindicato dos jornalistas

Entidade repudia a atitude do prefeito de São Paulo e afirma que seu depoimento foi "destemperado"

306 0

Da Redação

O Sindicato dos Jornalistas de São Paulo divulgou nota onde repudia vídeo publicado por João Doria atacando repórter da Folha de S. Paulo. A entidade afirma que o depoimento do tucano foi  “destemperado, que não contesta diretamente nenhum dado apresentado, e busca simplesmente, com base no poder que emana de seu cargo, desqualificar o repórter e a reportagem”.  A entidade pede que o prefeito da próxima vez “responda à reportagem com fatos e dados, e não com falatório no Facebook”.

Matéria assinada por Artur Rodrigues traz dados que mostram que as doações de empresas prometidas pelo tucano estão empacadas. Segundo o texto, só 8% do que foi prometido já foi viabilizado. Doria não gostou e gravou um vídeo onde ataca o repórter. ““Na próxima matéria pesquise melhor”, disse o prefeito.

Leia abaixo a nota dos jornalistas:

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) repudia a manifestação agressiva e descabida do prefeito de São Paulo, João Doria, contra a reportagem “Doações prometidas por Doria empacam”, publicada na edição desta sexta (7) do jornal Folha de S.Paulo, e contra seu autor, o repórter Artur Rodrigues.

A reportagem, correta e bem apurada, mostra que, de um total de R$ 626,5 milhões em doações de empresas anunciadas pela Prefeitura de São Paulo para a cidade, neste ano, apenas R$ 47,7 milhões foram de fato realizadas até o momento. Do restante, R$ 352,1 milhões estariam “em tramitação”, R$ 225,3 milhões não têm sequer uma “proposta oficial”, além de R$ 1,4 milhão sem informação.

O texto expõe um conjunto de dados mostrando detalhes aos leitores, exemplifica diversas situações (como empresas que dizem não ter conhecimento de doações atribuídas a elas) e dedica uma parte considerável do espaço às afirmações da própria Prefeitura a respeito da questão (o chamado “outro lado”). Sua base são os números divulgados pelos órgãos oficiais.

A matéria confirma a justeza das preocupações com a falta de transparência nas doações à Prefeitura, questão já levantada em reportagem da Rádio CBN mostrando que as doações de laboratórios farmacêuticos incluíam remédios perto da data de vencimento – inviáveis, portanto, para a comercialização.

Lamentavelmente, em resposta à reportagem, o prefeito João Doria posta em rede social um depoimento destemperado, que não contesta diretamente nenhum dado apresentado, e busca simplesmente, com base no poder que emana de seu cargo, desqualificar o repórter e a reportagem.

O SJSP considera que os governantes têm como obrigação primeira prestar todas as informações de relevância pública que envolvem a sua gestão. A agressão a um repórter, que fez com diligência o seu trabalho de divulgar fatos de amplo interesse, mostra um governante avesso a uma análise séria de seus procedimentos, e que acredita que com base no ativismo em mídia social e na agressividade consegue calar qualquer abordagem crítica.

Da próxima vez, senhor prefeito, responda à reportagem com fatos e dados, e não com falatório no Facebook.

Expressamos nossa solidariedade ao repórter Artur Rodrigues, bem como a defesa da liberdade de imprensa, essencial para superarmos o difícil momento que vivemos em nosso país.

São Paulo, 7 de julho de 2017.

Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo

 



No artigo

x